Terça, 01 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Ministra destaca importância da preservação cultural


08 Janeiro de 2020 | 13h37 - Actualizado em 08 Janeiro de 2020 | 14h31

Luanda - Os momentos de manifestação cultural nacional devem ser preservados e perpetuados, como forma de honrar a memória dos agentes culturais e de transmitir às gerações mais novas, destacou nesta quarta-feira em Luanda, a ministra da Cultura, Maria de Jesus.


Falando no acto central do Dia da Cultura Nacional, assinalado hoje (8 de Janeiro), lembrou os grandes momentos de exaltação da cultura nacional, como as duas edições do Festival Nacional de Cultura (Fenacult – 1989 e 2014), estando prevista este ano a realização da terceira edição.

Augurou que seja uma realização integradora com os diversos produtores e agentes culturais, e que seja igualmente coroada de êxito, por coincidir com a comemoração do 45º aniversário da proclamação da independência.

A realização da 1ª edição da Bienal de Luanda (Setembro de 2019), a inscrição de Mbanza Kongo, em 2017, na lista de Património Cultural da Humanidade, que impulsionou a realização da 1ª edição do Festival Internacional da Cultura Kongo (Festikongo), são outros feitos de grande importância no sector.

A cerimónia, realizada no Centro de Animação do Cazenga (Animart), foi marcada com a abertura de uma feira das indústrias culturais, bem como o lançamento de dois projectos “Cultura no meu bairro” e “Batucada de Carnaval”.

Na feira, a decorrer até sexta-feira, estão expostos itens da cultura nacional do país, com destaque para pintura, culinária e equipamentos musicais.

Já os projectos culturais, o primeiro visa descoberta de percussionistas e o segundo resgatar e promover o carnaval de rua.

No que diz respeito ao registo internacional do património angolano, a ministra fez saber que vão continuar a trabalhar para a elevação a património da humanidade do sítio da Batalha do Cuito Cuanavale, o corredor do Kwanza e as pinturas rupestres do Tchitundu Hulu, entre outros bens.

“Não podemos esquecer a nova dinâmica que pretendemos imprimir ao domínio do cinema em Angola, com a participação em festivais nacionais e internacionais, visando melhorar e modernizar a produção cinematográfica e audiovisual, enquanto formas de expressão artificial”, frisou.

O acto central foi antecedido da deposição de uma coroa de flores na estátua do primeiro Presidente do país, Agostinho Neto, sita no Largo da Independência, orientado pela ministra da Cultura, ladeada pelo governador de Luanda, Sérgio Luther Rescova.

Cunene

As iniciativas de apoio aos fazedores das artes como música, teatro, dança e artesanato por parte da direcção da Cultura na província do Cunene, estão inviabilizadas devido a falta de 19 milhões, 765 mil e 600 Kwanzas, disse hoje, quarta-feira, a directora local da Cultural, Lúcia Sincopela.

Esses valores são destinados a promoção de actividades cultural, concursos de música, danças feiras artesanais, preservar, valorizar e divulgar o património histórico, bem como os usos e costumes da tradição do povo na província do Cunene.

Informou que para inverter o quadro, a direcção da Cultura remeteu já a necessidade dos valores em acusa ao Governo Provincial do Cunene, no sentido de disponibilizar a verba com o propósito de resgatar as manifestações que conformam o potencial cultural da região.

Lúcia Sincopela disse estar em perspectiva a realização de um colóquios sobre as resistências dos reinos do Okwanhama, Ovakwafima e Ovavale, a realização do concurso de desenho e pinturas nas escolas, implementação do projecto de descoberta de talentos a nível dos municípios e comunas.

Cuando Cubango

O 8 de Janeiro deve servir de reflexão para todos sobre a importância de se proteger e prestar maior atenção aos valores culturais, porquanto fazem parte da história e ajudam a perspectivar novos rumos para o progresso do país.

O destaque foi feito pelo director do gabinete da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos no Cuando Cubango, Manuel Franessa, no acto que marcou as comemorações da efeméride.

Lunda Sul

O regedor do bairro Candente, Pinto Cazenbe, defendeu a construção de jangos típicos da tradição tchokwe, para contribuir no regaste dos valores morais e cívicos dos cidadãos.

A autoridade tradicional sublinhou que com a revitalização de jangos, facilitará o diálogo com as comunidades, bem como na resolução e mediação de conflitos tradicionais e domésticos.

Fez saber que a data deve servir de reflexão para os jovens e não só, porque há muita perda de valores, com incidência ao desrespeito das normas de convivência, saudação e a própria identidade sociocultural do povo.

A Administração Municipal de Saurimo construiu em 2019 seis jangos e em 2020 vai reabilitar alguns em estado degradação.

O Dia Nacional da Cultura, foi instituído em 1986, devido ao discurso pronunciado pelo primeiro presidente angolano e fundador da nação, António Agostinho Neto, em 1979, na tomada de posse dos corpos gerentes da União dos Escritores Angolanos (UEA).

A data foi aprovada pelo decreto nº 21 e publicado no Diário da Republica nº 87, I série, de Novembro de 1986, em homenagem ao discurso sobre a Cultura Nacional.