Sábado, 28 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Kabocomeu relegado para classe B


26 Fevereiro de 2020 | 14h03 - Actualizado em 26 Fevereiro de 2020 | 14h00

União Operário Kabocomeu Foto: Joaquina Bento

Luanda - Sessenta e oito anos depois da sua criação, o grupo União Operário Kabocomeu, do distrito urbano do Sambizanga, município de Luanda, deixa o convívio dos grandes do Carnaval de Luanda, fruto do 11º lugar na edição 2020 do Entrudo.


Grupo referencial da história do Carnaval de Luanda e vencedor da primeira edição do Carnaval do pós-independência, em 1978, o União Operário Kabocomeu foi fundado no dia 2 de Janeiro de 1952, em Luanda, pelo bailarino Joaquim António, o carismático Comandante Desliza, operário de construção civil que trabalhou nos armazéns da firma Diogo e Companhia, na época colonial.

O colectivo, que tem nas sombrinhas e na dança Kazukuta como as suas principais bandeiras, obteve, na presente edição, apenas 378 pontos, insuficientes para a manutenção na classe A.  

O mesmo destino tiveram os grupos União 17 de Setembro, nono colocado, com 402 pontos, União Café de Angola, com 384, União Kazukuta do Sambizanga, com 344 e União Domant, com 312 pontos.