Sexta, 04 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Gingas "agitam" domingo com semba e kabetula


09 Agosto de 2020 | 18h24 - Actualizado em 09 Agosto de 2020 | 18h36

Luanda - Ao ritmo do semba, da kabetula e da varina, as Gingas do Maculusso proporcionaram, este domingo, um espectáculo interactivo, em mais uma edição do programa "Live no Kubico".


Durante três horas, Paula Daniela, Gersy Pegado, Josina Stella, Patrícia Faria e Celma Miguel "agitaram" a tarde de milhares de telespectadores e internautas, que assistiram a actuação através da TPA e do portal Platina Line.

O show, marcado por grande empatia entre as cantoras e a banda de suporte, baseou-se num guião "repleto" de canções de sucesso, que retrataram as mais de três décadas das Gingas.

Nesse retorno aos grandes holofotes, que antecede ao Grande Show de Reencontro do grupo, as "Meninas do Maculusso" fizeram um recuo no tempo e interpretaram canções que lideraram as audiências, entre 1994 e 2006.

Há alguns anos sem um show integrado por todas as suas cantoras históricas (ainda em vida), desde o concerto Gingas 30 anos, as cantoras capricharam nos detalhes da produção.

Abriram o show ao som  de "Alô Malanje", uma saudação especial dedicada aos cidadãos da província de Malanje, terra originária da mentora do projecto Gingas, Rosa Roque.

Introvertidas e entrosadas, Patrícia, Gersy, Josina Celma e Paula mostraram que, apesar do tempo, ainda têm estrutura física e capacidade vocal para entreter os fãs do grupo.

O primeiro bloco do show foi preenchido pelos temas "Mbanza Luanda", "Don’t Cry", "Dizanda", "Kikola", "Requebrar", "Dilangue", "Kimbange", "Missosso", fechando com "Nzala" e "Apollo", numa homenagem ao rei da música angolana Elias Dya Kimuezo e Belita Palma.

Acompanhadas instrumentalmente por uma banda jovem, liderada pelo baterista Lito Graça, as cantoras cantaram e encantaram, ajudando a arrecadar bens de primeira necessidade para pessoas carencuadas em Angola.

À semelhança do primeiro bloco, mais pausado em termos rítmicos, o segundo começou suave, ao som de "Kalandula", preparando cenário para  uma sequência mais ritmada, com "Kumalanje",  "Lengueno", "Filhas de África" e "Gingas 15 anos".

Em ritmo cadenciado, nem mesmo a falta de público no espaço tirou a alegria de quem tinha como missão recolher donativos para cidadãos necessitados, numa actuação que incluiu ainda as canções "Kizomba", "Rotura", "Panguila", "Kabetula", "Mizangala", "Dikaza"  e "Xiyami".

Entre agradecimentos e apelos para o cumprimento das regras sanitárias impostas pelas autoridades angolanas, o grupo fechou a actuação com "Filhas de África" e "Fuba".

Destinado à recolha de apoio para os mais vulneráveis, o "Live no Kubico" na TPA tem contado com a participação de artistas angolanos de referência.

Dele já participaram Paulo Flores/Bonga/Yuri da Cunha, no concerto "3 G do Semba", Anselmo Ralph, Matias Damásio, Euclides da Lomba/Patrícia Faria e Dom Cateano/Edmásia, os últimos 4 em duetos.

Transmitidos aos sábados, na TPA 2 e TPA Internacional, e aos domingos, na TPA 1,  promoveu também actuações de Ary, GabrielTchiema/Mito Gaspar, Calabeto/Puto Português e com os Jovens do Prenda,  Tunjila Tuajokota, Socorro e Baló Januário, e das divas Patrícia Faria, Yola Semedo e Edmázia, Ndengues do Kota Duro,  Sassa Tchokwe e Santos Católica.

De igual modo, proporcionou o show com as referências do music hall angolano nos anos 80, e outras actuações de artistas gospel.

Para além da TPA, o "Live no Kubico" é transmitido em directo, em várias redes sociais, em parceria com a Platina Line.

Na próxima semana estarão em palco os artistas Bessa Teixeira e Proletário, bem como o grupo tradicional Kumbi Lyxya, em mais um momento solidário proporcionado pela TPA e Platina Line.