Quinta, 03 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Tchiema defende mais valorização do folclore


11 Outubro de 2020 | 17h04 - Actualizado em 11 Outubro de 2020 | 17h04

LUNDA SUL - GABRIEL TCHIEMA Foto: HÉLDER DIAS

Saurimo - O músico e compositor Gabriel Tchiema defendeu hoje, em Saurimo, Lunda Sul, um trabalho conjunto entre o Ministério da Cultura e os promotores de eventos, para a valorização, divulgação e aceitação da música folclórica no mercado nacional.


Em declarações à ANGOP, no quadro do Dia Internacional da Música (10 de Outubro) e a propósito do crescimento do folclore, Gabriel Tchiema, dono de uma voz inconfundível, defensor das línguas nacionais e da música tradicional, considera fundamental que os promotores de eventos prestem mais atenção aos artistas folclóricos, contratando-os nos espectáculos que promovem.


Segundo o músico, os estilos tradicionais concorrem para a solidificação da identidade cultural do país e ajudam a resgatar valores. Assim, prosseguiu, a sua valorização e divulgação passa pela promoção de espectáculos e/ou concertos apenas com artistas de estilos tradicionais.

Gabriel Tchiema destacou o papel da Comunicação Social, sobretudo da rádio e da televisão, na divulgação.

“ O ser humano alimenta-se espiritualmente com o que ouve e vê, por isso, se as nossas rádios e televisões passarem mais músicas tradicionais, se os promotores de eventos produzirem espectáculos apenas de músicas folclóricas, os cidadãos angolanos vão aprender a gostar e valorizar a música tradicional”, sublinhou.

Exemplificou a reacção dos angolanos em relação à música tradicional que têm sido divulgadas através dos shows “Live no Kubico” promovido pela Televisão Pública de Angola (TPA), nesta fase da pandemia da Covid-19.

Considera que da mesma forma como é valorizado o Semba, o Estado angolano, através do ministério de tutela, deve dar a mesma atenção aos outros estilos de música tradicionais das várias regiões, defendendo para tal, através de programas como o Fenacult e festivais regionais.

A par da valorização e divulgação, Gabriel Tchiema considera fundamental que a nova geração de músicos tenham em conta, nas suas obras discográfica e/ou nas suas composições, músicas tradicionais com qualidade sonora e rítmica.

Gabriel Tchiema, que nasceu em 1966, no município do Dala, antes de Mingole, gravou “Nhena Nhi Nhami” e “Azulula” (Abre-te) e começou por tocar e por cantar música angolana em Cabinda, onde até 1990 cumpriu serviço militar. É co-fundador da Banda ASP.