Segunda, 18 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Angola e Itália manifestam interesse em diversificar cooperação


27 Novembro de 2017 | 16h08 - Actualizado em 27 Novembro de 2017 | 16h08

Presidente João Lourenço (à dir.) com primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni

Foto: Francisco Miudo



Luanda - O Presidente da República, João Lourenço, e o primeiro-ministro da Itália, Paolo Gentiloni Silveri, manifestaram nesta segunda-feira, em Luanda, o interesse de ampliar e diversificar a cooperação bilateral.


O posicionamento do Titular do Poder Executivo angolano e do Chefe do Governo italiano foi transmitido à imprensa no final de um encontro entre as duas individualidades e após a assinatura de dois acordos entre as petrolíferas Sonangol (Angola) e ENI (Itália).


O Estadista angolano reconheceu ter havido, desde 2014, uma retracção nas trocas comerciais entre os dois países, devido à crise financeira resultante da baixa do preço do petróleo (principal produto de exportação de Angola) no mercado internacional.

Trata-se de um quadro que tende a mudar, afirmou o Presidente João Lourenço.

Depois de ter enaltecido o apoio de organizações da sociedade civil italianas à luta de libertação de países africanos contra o colonialismo, considerou essencial que a cooperação bilateral se estenda aos sectores da agro-indústria e das pescas.

O Chefe de Estado angolano defendeu o prosseguimento das trocas regulares de delegações ministeriais entre os dois estados.

Primeiro-ministro italiano

Já o primeiro-ministro italiano disse que a escolha de Angola para o início da sua digressão em África confirma a importância dos laços de amizade existentes entre Angola e a Itália.

Segundo Paolo Gentiloni, há muito trabalho pela frente a fim de consolidar a cooperação existente. Para o primeiro-ministro italiano as economias de Angola e da Itália se complementam.

O Chefe do Governo da Itália acredita que o futuro da Europa se jogue em África, salientando a influência do mediterrâneo na cultura dos dois continentes.

A Itália foi o primeiro país da Europa Ocidental a reconhecer a Independência de Angola, no dia 18 de Fevereiro de 1976 e, a 4 de Junho do mesmo ano, estabeleceram-se relações diplomáticas entre os dois Estados.

As relações de cooperação datam de 1977, altura em que se assinou o memorando que instituiu a Comissão Bilateral, então Comissão Mista de Cooperação, seguindo-se a subscrição de outros instrumentos jurídicos, nomeadamente no domínio da defesa e segurança internacional, colaboração em operações humanitárias e de apoio à paz, desminagem e assistência médica e medicamentosa.

Angola é o terceiro parceiro comercial da Itália na África subsaariana. Em 2013 o valor do comércio entre os dois países cifrou-se em 891 milhões de Euros, 348 milhões dos quais feitos através das exportações Italianas.