Sábado, 16 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Vice-presidente ressalta programa de governação


28 Dezembro de 2018 | 22h50 - Actualizado em 29 Dezembro de 2018 | 14h29

Bornito de Sousa na cerimónia de cumprimentos de fim de ano ao Presidente da República, João Lourenço

Foto: Pedro Parente



Luanda - O vice-presidente da República, Bornito de Sousa, afirmou, em Luanda, que os desafios da implementação do programa de governo para 2018-2022 estão a dar os primeiros passos e existe uma opinião geral positiva da imprensa nacional e internacional e dos cidadãos sobre a nova governação em Angola.


Durante a cerimónia de cumprimentos de fim de ano ao Presidente João Lourenço, o vice- presidente disse acreditar que continuarão no centro da atenção, a gestão macroeconómica, a diversificação da economia, com foco na agro-indústria, construção, turismo, diplomacia económica, administração tributária, a banca, dinamização do sector privado, emprego e a boa governação.

Mencionou as questões que continuarão a merecer escrutínio geral, tais como o combate à corrupção, o repatriamento de capitais, a fiscalização parlamentar sobre o Executivo, as reformas do Estado, incluindo o sistema de segurança e defesa, a gestão integrada dos municípios, a reconciliação nacional, as autarquias, direitos humanos e liberdades constitucionais.

Em sua opinião, há alguns avanços no domínio da fiscalização parlamentar sobre a acção do Executivo e um melhoramento de desempenho e exercício correcto da liberdade de imprensa e da crítica objectiva feita pelos media.

Para si, a imprensa, a sociedade civil e os cidadãos, em geral, desempenham um papel importante na denúncia de práticas lesivas dos interesses gerais.

Enalteceu a operação resgate, levada a cabo pelo Executivo, com carácter abrangente e duradouro, que visa acabar com os comportamentos desviantes e até mesmo delituosas, apontando como exemplo a existência de mais de mil requerimentos para a constituição ou legalização de confissões religiosas, algumas das quais viradas para o mercantilismo religioso ou com prática contrárias aos bons costumes.   

Durante a cerimónia, o Presidente da República, acompanhado da sua esposa, Ana Dias Lourenço, confraternizou com membros do Executivo, deputados, representantes da sociedade civil e outras personalidades.

Artistas e bandas do camaronês Manu Dibango e dos angolanos Bonga e Waldemar Bastos animaram a parte cultural da actividade.

A banda Movimento acompanhou Magno Sousa, Pérola e Don Caetano.