Terça, 01 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Minint considera falso "tráfico de órgãos" no Cunene


05 Fevereiro de 2019 | 19h46 - Actualizado em 06 Fevereiro de 2019 | 08h22

Edifício do Ministério do Interior Foto: Gaspar dos Santos

Luanda - O Ministério do Interior (Minint) considerou falsas as informações divulgadas nas redes sociais sobre eventuais casos de tráfico de órgãos humanos na província do Cunene e reafirma que manterá a segurança dos cidadãos, bem como um combate cerrado a eventuais marginais.


Há já algum tempo pessoas com fins inconfessos têm difundido nas redes sociais falsas informações referentes a eventuais casos de tráfico de órgãos humanos, anexando às referidas notícias imagens horrorosas.

Em comunicado de imprensa, o Minint refere que depois de um trabalho investigativo realizado por especialistas na matéria concluiu-se tratar-se de informações completamente falsas.

Nessa esteira, denuncia “essa campanha que visa instalar o pânico e o sentimento de insegurança na população e recomenda o não reencaminhamento a terceiros de notícias dessa natureza”.

Segundo a nota a que a Angop teve acesso, o Minint alerta a população, particularmente a da província do Cunene, a manter a calma e denunciar os que procuram semear o medo e a insegurança.

“Os órgãos competentes do Estado continuarão a garantir a segurança das pessoas, contando sempre com a indispensável e prestimosa colaboração da população”, conclui o comunicado.