Terça, 26 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Lusa nega intromissão em assunto interno angolano


21 Fevereiro de 2019 | 23h34 - Actualizado em 21 Fevereiro de 2019 | 23h34

Luanda - A directora de informação da agência noticiosa portuguesa Lusa, Luísa Meireles, desmentiu esta quinta-feira que tenha assumido algum posicionamento em relação a alegadas declarações supostamente atribuídas ao ex-governador de Luanda e actual deputado Higino Carneiro.


Tais informações dizem respeito a alegadas declarações de Higino Carneiro sobre um suposto envolvimento do MPLA em actos de corrupção, nas últimas eleições gerais.

A ANGOP havia, erradamente, atribuído a Luísa Meireles uma suposta declaração sua, segundo a qual havia sido contactada, por diversas vezes, a fim de se pronunciar sobre matérias idênticas, veiculadas pelo site angolano Club-K.

A declaração erradamente atribuída à directora da Lusa era, na verdade, de autoria de uma fonte angolana, que forneceu a informação à ANGOP, sob a condição de anonimato.

“Em particular, fiquei chocada pela redação da notícia, dando conta de me terem contactado e supostamente respondido sobre um tema da política interna angolana, sobre o qual, como imagina, jamais me pronunciaria”, escreve Luísa Meireles, em nota enviada à ANGOP, por e-mail.

Na nota, Luísa Meireles deixa claro que a agência Lusa jamais assume posições sobre os temas que noticia, sendo por isso inteiramente falso que se tenha "demarcado das informações atribuídas ao ex-governante Higino Carneiro", como a ANGOP havia noticiado.

A nota conclui que a Lusa, como sempre, “limitou-se a noticiar declarações proferidas publicamente” pelo advogado de Higino Carneiro.