Terça, 01 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Caso "500 milhões": Advogado de Zenu solicita justiça "cristalina"


11 Dezembro de 2019 | 19h49 - Actualizado em 11 Dezembro de 2019 | 19h51

Luanda - O advogado de José Filomeno dos Santos "Zenu", Gentil de Figueiredo Simão, solicitou, nesta quarta-feira, em Luanda, uma justiça "clara, justa e cristalina", no julgamento do Caso "500 milhões".


A declaração foi feita durante a audição de Zenu dos Santos, quando, a dado momento, criticou o juiz por fazer perguntas “sugestivas e de forma reiterada”, deixando-o descontente.

“O desempenho dos venerandos é um absurdo, com todo o respeito. A justiça tem de ser clara, justa e cristalina”, atirou, visivelmente agastado com a “bateria” de perguntas dos juízes que lhe parecia ser mais um juízo de certeza, do que questões para a procura da verdade material.

Indignado com a atitude do advogado, o juiz presidente da sessão, João da Cruz Pitra, solicitou “calma, ponderação e mais urbanidade” ao causídico, ameaçando expulsá-lo em caso de repetição da atitude que considerou “pouco urbana”.

Porém, o juiz presidente reconheceu o excesso do seu adjunto José Martinho Nunes.

Valter Filipe recupera satisfatoriamente

Na sessão de hoje, a terceira deste mediático julgamento, o réu Valter Filipe voltou a estar ausente, por questões de saúde, motivo que levou o juiz da causa a questionar a sua evolução médica.

Em resposta, o seu advogado, Sérgio Raimundo, disse que Valter Filipe está estável. “A fraqueza está a diminuir e aguarda apenas os resultados dos exames de urina e de sangue”.

Admitiu o seu regresso ao tribunal sexta ou segunda-feira próxima.

Além de Valter Filipe e de "Zenu dos Santos, estão implicados no caso o ex-director do Departamento de Gestão de Reservas do BNA, António Samalia Bule, e o empresário Jorge Gaudens.

A sessão de julgamento retoma quinta-feira com a audição do arguido António Bule Manuel.