Domingo, 24 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

MPLA quer maior participação dos militantes na moralização da sociedade


13 Abril de 2019 | 22h29 - Actualizado em 13 Abril de 2019 | 23h30

Huíla: Luísa Damião - vice-presidente do MPLA

Foto: Morais Silva



Lubango - A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, apelou a participação activa e massiva dos militantes, amigos e simpatizantes do partido, na "ampla" campanha de moralização da sociedade contra a corrupção, nepotismo, impunidade e a bajulação, cujo lançamento está previsto para dia 20 de Abril, em Luanda.


A dirigente política fez este apelo, durante o acto político  de apoio ao VII Congresso Extraordinário do MPLA, que visa dotar o partido de maior dinâmica e  robustez necessária à altura dos desafios políticos, económicos, sociais e principalmente a implementação pela primeira vez das Autarquias Locais.      

Luísa Damião disse que esta campanha é um compromisso real com o país, sendo que estão a colocar em prática as promessas eleitorais,relativas à "necessidade de arregaçar as mangas e trabalhar árdua e afincadamente com responsabilidade na resolução dos problemas do povo, pois não pode esperar que os outros o façam".

Admitiu serem enormes os desafios que ainda têm a vencer, mas anima o partido os passos que estão a ser dados pelo Executivo na materialização do programa de governação  do MPLA, tendo sempre presente  o bem-estar do povo angolano.

“A realização do sonho e aspirações  do nosso povo, alicerçados  nos ideais dos nossos pais que nos legaram a independência na perspectiva de uma Angola de bem-estar, não podem, jamais ser adiados, por isso temos que continuar a apoiar e encorajar o nosso Presidente na implementação das reformas em curso nos diferentes sectores  da vida, económica, social e cultural do país”, sublinhou.

Destacou que todo esse processo só será viável se a paz alcançada há 17 anos for preservada  e a população for incentivada  e educada para uma cultura de paz.    

Entretanto, apontou ainda a violência  como sendo um dos problemas que preocupa a sociedade, pois  conduz a instabilidade das famílias com consequências  desastrosas para todos, directa ou indirectamente, por isso encoraja o Estado, as organizações da sociedade civil a intensificar  as acções conjuntas na luta contra este flagelo  e a denunciarem casos que ocorrem  nas comunidades.

Tarefa da JMPLA

A mobilização, educação, elevação da consciência política e patriótica da juventude e a sua inserção na sociedade deve ser uma tarefa permanente da JMPLA, por  constituír o viveiro de quadros do MPLA, considerou a vice-presidente do partido, Luísa Damião, no acto político.

Na ocasião, referiu que a JMPLA tem um grande desafio,  este ano, de preparação realização do seu VIII Congresso  Ordinário, " que será, sem dúvida, uma grande manifestação  política dos jovens”.

“Temos que dar passos  sólidos, seguros e firmes na senda do desenvolvimento  económico  e sustentável  rumo à prosperidade e bem-estar, mas que para tal será necessário, corrigir o que está mal e melhorar o que está bem”, disse Luisa Damião.

Entretanto, exortou a Organização da Mulher Angola (OMA) a continuar a assumir o seu papel  na mobilização das mulheres na moralização  e no resgate dos bons hábitos  e costumes  e na educação para uma cultura de paz e fraternidade da democracia.    

“Temos que mobilizar as mulheres para uma participação activa nas eleições autárquicas, não só como eleitoras, mas também como candidatas”, aludiu.     

A visita dos três dias do secretariado do Bureau Político, que teve à cabeça Luísa Damião, teve como objectivo avaliar o estado de organização  e funcionamento das estruturas do partido, das suas organizações de base, bem como tomar contacto  com a situação económica e social das populações na província da Huíla.

O acto político teve lugar no pavilhão da Senhora do Monte.