Quarta, 27 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

PR zimbabweano com olhar na cooperação agrícola


30 Outubro de 2019 | 18h47 - Actualizado em 30 Outubro de 2019 | 19h05

Harare - O Presidente do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa, manifestou hoje, quarta-feira, em Harare, o interesse do seu país aprofundar a cooperação com Angola nos vários domínios, principalmente na agricultura e turismo.


Falando na cerimónia de recepção das cartas credenciais do novo embaixador de Angola naquele país, Agostinho Tavares, o Chefe de Estado zimbabweano mostrou também interesse nas trocas comerciais entre os sectores das pescas e pecuário, que poderá traduzir-se na exportação do pescado de Angola e na importação da carne a partir do Zimbabwe.

Por isso, Emmerson Mnangagwa defendeu, na sua alocução, a retoma dos acordos já existentes no âmbito da criação de uma Câmara de Comércio Angola/Zimbabwe, com vista a aproveitar as oportunidades de negócios entre os empresários de ambos países.

Enalteceu as boas relações de longa data existentes entre os dois países, principalmente ao mais alto nível, alicerçadas pelo apoio que o Presidente da República de Angola, João Lourenço, tem prestado ao povo e governo do seu país.

O estadista lamentou a actual situação economicamente e financeira da sua nação, consequência do embarco económico imposto pelos Estados Unidos de América e União Europeia.

Por seu turno, o embaixador de Angola no Zimbabwe, Agostinho Tavares, afirmou que ambos estados têm “enormes” potencialidades que devem ser bem exploradas com vista ao aprofundamento da cooperação.

"O nosso desafio é a diplomacia económica e para que não seja apenas um Slogan, devemos trabalhar no sentido da captação do investimento estrangeiro zimbabweano, aproveitando o seu know-how, particularmente, no domínio da agricultura, pequenas e medias industrias”, disse.

Segundo o diplomata, é neste sentido que o seu consulado pensa em reactivar a Comissão Bilateral Angola/Zimbabwe e elevar as relações de cooperação a outros patamares, designadamente no domínio da educação e ensino superior, turismo, industria, comércio, defesa, segurança, entre outros.

Na sua visão, pode-se também explorar a necessidade da criação de uma Câmara do Comercio Angola-Zimbabwe, com engajamento do sector privado, associações de empresários angolanos, incluindo mulheres de negócios com enorme potencial.