Sexta, 15 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Ministro quer rigor na fiscalização das fronteiras


16 Abril de 2020 | 12h19 - Actualizado em 16 Abril de 2020 | 18h32

ministro Eugénio laborinho durante visita A FRONTEIRA DO TCHISSANDA

Foto: HÉLDER DIAS



Dundo - O ministro do Interior, Eugénio Laborinho, exigiu hoje, quinta-feira, no Dundo, fiscalização rigorosa ao longo da fronteira com a República Democrática do Congo (RDC) e das vias com fluxos de estrangeiros, no âmbito das medidas de prevenção e contenção da propagação da covid-19.


O governante, que coordena uma delegação Interministerial de Resposta à covid-19,  fez este apelo durante a visita de constatação na fronteira de Tchissanda,  recordando a necessidade de se redobrar a vigilância, para que as fronteiras sejam invioláveis.

"Não dão possibilidade de ninguém entrar, sejam mais rigorosos,  porque, nesta altura, os cidadãos da RDC, tendo em conta o estado epidemiológico do seu país,  querem procurar refúgio e estabilidade,  por isso a vigilância deve ser reforçada" , reforçou.

Sublinhou que, pelo facto de a fronteira estar "muito" próxima da sede capital da província,  é necessário que seja reforçado o efectivo e os meios de vigilância, para se atender à demanda e se evitar, ao máximo,  a entrada ilegal de emigrantes.

Destacou a necessidade de se reforçar o diálogo com as autoridades da RDC, para um trabalho conjunto, e de se evitar que cidadãos dos dois países entrem e saiam.

O ministro foi informado que, nas últimas 24 horas, foram detidos e repatriados 207 cidadãos da RDC, por tentativa de violação da fronteira com uma extensão de 490 quilómetros,  dos quais 120 fluviais.

Tchissanda faz fronteira com quatro províncias da RDC, que tem pelo menos 29 milhões de habitantes, e dista a sete quilómetros da cidade do Dundo.

O ministro faz acompanhar-se do secretário de Estado para a Gestão Hospitalar, Leonardo Inocêncio,  entre outros responsáveis de diversos departamentos ministeriais.

Angola regista, até ao momento, 19 casos positivos do coronavírus (covid-19), dos quais dois mortos e cinco recuperados.