Segunda, 18 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Kundi Paihama: Um político de convicções firmes


29 Julho de 2020 | 16h45 - Actualizado em 29 Julho de 2020 | 16h45

Luanda - Deputados, políticos e oficiais-generais afirmaram hoje (quarta-feira), em Luanda, que o general Kundi Paihama vai ser lembrado pela sua verticalidade de carácter, postura e como homem de convicções firmes.


Em declarações à imprensa, à margem da homenagem ao general falecido na última sexta-feira, o presidente de Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, disse que “o país acaba de perder um dos seus melhores filhos, um companheiro de luta, um amigo de sempre”.

Para a vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, o partido perdeu um grande dirigente e Angola um grande patriota.

O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas (FAA), general Egídio de Sousa Santos, desolado, disse apenas “Paihama foi um bom pai”.

Por seu turno, o general Matias Lima Coelho “Zumbe” lembrou-se da determinação do falecido general, na mobilização e moralização da população e das forças armadas, para contrapor a invasão sul-africana, tendo-o considerado um “nacionalista e político sério, com posições de Estado”.

O general António França “Ndalu” falou da determinação de Kundi Paihama na criação e liderança do batalhão “Onças da Montanha”, para o combate às forças rebeldes de então, rotulando-o como “um bom chefe e combatente”.

O antigo vice-presidente do MPLA, Roberto de Almeida, afirmou que o finado general foi “irrepreensível”, sempre se destacou para as missões mais difíceis, até “os seus inimigos reconheciam a sua verticalidade e postura de combatente heróico”.

Para o deputado Mário Pinto de Andrade, Paihama foi a prova de homem que faz a guerra para trazer a paz, aquele que mais enfrentou Jonas Savimbi, quer em operações práticas, quer no discurso político.

Kundi Paihama nasceu há 75 anos no município de Quipungo, província da Huíla, e foi governador das províncias do Cunene, Benguela, Luanda, Huambo e Huíla.

Da folha de serviço constam, também, os cargos de ministro do Interior, da Segurança de Estado, da Inserção e Controlo Estatal, da Defesa Nacional e dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria.

Os restos mortais do general Kundi Paihama vão a enterrar quinta-feira, na sua terra natal.