Terça, 01 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Angola sobe 15 pontos no ranking de liberdade de imprensa


15 Outubro de 2020 | 15h50 - Actualizado em 15 Outubro de 2020 | 16h05

PR João Lourenço discursa sobre o estado da Nação Foto: Cortesia da Assembleia Nacional

Luanda - O Presidente da República, João Lourenço, enalteceu o facto de Angola subir 15 pontos, em três anos, no ranking da liberdade de imprensa, como refere a organização Repórteres Sem Fronteiras.


João Lourenço, que discursava na Assembleia Nacional sobre o Estado da Nação, por ocasião da abertura IV Sessão Legislativa da IV Legislatura, enfatizou a ocupação por Angola da 106ª posição no ranking da liberdade de imprensa, na edição/2019, compilada pelos Repórteres Sem Fronteiras.

Destacou a política de modernização tecnológica e de reforço de infra-estruturas das empresas e institutos públicos do sector da Comunicação Social, visando garantir um maior e melhor desempenho dos profissionais e aumentar a quantidade e qualidade dos serviços prestados aos utentes.

O Estadista angolano apontou como maior desafio a extensão dos sinais da rádio e televisão a todo o território nacional, conforme estabelecido no Plano de Desenvolvimento Nacional 2018/2022.

Valorizou a experiência-piloto do projecto de televisão terreste digital nas províncias de Luanda e de Malanje, para posterior expansão por todo o país, numa parceria com o Governo japonês.

Segundo João Lourenço, está em preparação a Política Nacional de Comunicação Social, que vai implicar a reforma nos modelos e serviços de comunicação social públicos, de forma a propiciar maior qualidade e eficiência no processo de comunicação dos agentes, órgãos e serviços do Estado.

A iniciativa visa conferir um maior conhecimento da acção governativa e dos valores éticos, culturais e históricos de Angola.

Fez alusão à adequação do pacote legislativo, como imperativo para um maior exercício da liberdade de imprensa pela classe de jornalistas, com vista a maior isenção e independência na produção de informação e maior responsabilidade no exercício da profissão.

O Presidente falou também da promoção do processo de auto-regulação, como mecanismo de garantia de isenção e independência no exercício do jornalismo, através da criação de condições para a instalação da Comissão da Carteira e Ética e para o aumento da capacidade institucional da Entidade Reguladora da Comunicação Social Angolana (ERCA).

O Chefe de Estado disse que Angola subiu 19 pontos e melhorou a sua pontuação no Índice de Percepção da Corrupção da Transparência Internacional, de 2019, divulgada no passado mês de Janeiro, saindo da posição 165 para a 146.