Sexta, 27 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Líder da UNITA sugere venda rápida de activos


15 Outubro de 2020 | 10h39 - Actualizado em 15 Outubro de 2020 | 10h38

Presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior (arq) Foto: Pedro Parente

Luanda - O presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, sugeriu hoje que o Estado realize, rapidamente, concursos públicos para a venda dos activos confiscados a entidade privadas.


"Estas apreensões, resultantes do combate à corrupção, devem ser levadas rápido a concursos públicos e não entregues directamente a amigos ou alguém de confiança", expressou à imprensa o líder do maior partido da oposição, na Assembleia Nacional.

Trata-se de empreendimentos construídos com fundos públicos, que revertem para o Estado angolano no âmbito da Lei sobre o Repatriamento Coercivo e Perda Alargada de Bens, aprovada pelo Parlamento angolano.

Actualmente, o Estado tem feito a entrega destes empreendimentos a fieis depositários, enquanto prepara o processo de venda dos activos.

Conforme Adalberto Costa Junior, que falava a propósito da abertura do Ano Parlamentar e da Mensagem do Presidente da República sobre o Estado da Nação, o Governo deve continuar a trabalhar para o combate dos monopólios em Angola.

O combate à corrupção e à impunidade é uma das "bandeiras" da governação do Presidente João Lourenço. Enquadra-se no conjunto de medidas do Executivo para assegurar a criação de um ambiente mais favorável para o investimento privado.