Quinta, 03 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Oposição insiste sobre realização das eleições autárquicas


15 Outubro de 2020 | 17h53 - Actualizado em 15 Outubro de 2020 | 17h53

Luanda - A UNITA considerou que o Presidente da República, João Lourenço, foi omisso, na mensagem que dirigiu esta quinta-feira à Nação, quanto ao que considerou "questões ligadas às eleições autárquicas".


Em declarações à imprensa, após a mensagem sobre o Estado da Nação, o deputado Raul Danda (UNITA) afirmou que “não basta o Presidente vir ao Parlamento apresentar os problemas”.

Inicialmente prevista para o ano em curso, a realização das eleições autárquicas foi protelada “sine die”.

No discurso à Nação desta quinta-feira, o Presidente da República, João Lourenço, declarou que parte do Pacote Legislativo Autárquico está aprovado, faltando apenas alguns diplomas, como a Lei da Institucionalização das Eleições Autárquicas, para que se realizem num quadro legal.

“Esperava ouvir do Chefe de Estado quando, realmente, serão realizadas as eleições autárquicas, um assunto que tem preocupado os deputados da oposição”, observou o deputado do Partido de Renovação Social (PRS), Benedito Daniel.

Sobre a mesma questão, o deputado João Pinto, do MPLA – partido no Governo, referiu que historicamente a oposição nunca esteve satisfeita com nada.

João Pinto considerou normal este posicionamento dos partidos da oposição por, conforme disse, ser parte do jogo democrático.

“Temos que manter a esperança e acreditar na boa fé e na seriedade das nossas instituições”, afirmou o parlamentar, para quem o discurso do Presidente João Lourenço, foi realista e abrangente do ponto de vista político, social e económico.

Na sua mensagem, o Presidente João Lourenço negou que as eleições tenham sido adiadas, "porque não se adiam eleições que nunca foram convocadas, e não se convocam eleições sem que assentem numa base legal, sob pena de não serem consideradas válidas".

"Estamos todos interessados na realização dessas eleições que vão acontecer pela primeira vez em Angola", reiterou o Chefe de Estado.

A par do MPLA, 150 deputados, UNITA (51) e PRS (2), estão igualmente representados na Assembleia Nacional a CASA-CE (16) e FNLA (1).