Quinta, 03 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Mau estado da via retarda desenvolvimento de Kaluka


24 Dezembro de 2018 | 17h50 - Actualizado em 25 Dezembro de 2018 | 13h27

Mbanza Kongo - Os sessenta e cinco quilómetros da via de terra batida que parte do desvio da estrada nacional 210 em direcção à comuna de Kaluka, município de Mbanza Kongo, província do Zaire, encontram-se em estado avançado de degradação, facto que tem retardado o desenvolvimento desta localidade.


Para constatar a situação deslocou-se hoje, segunda-feira, àquela comuna situada a sudoeste da cidade de Mbanza Kongo, o governador provincial, Pedro Armando Makita Júlia.

O governante ouviu as queixas dos habitantes locais sobre esta estrada que nunca beneficiou de uma reabilitação definitiva, desde a época colonial, resultando também em pontes e passagens hidráulicas obsoletos ao longo do percurso.

De acordo com o regedor da aldeia Ave-Maria, Manuel Lopes, o mau estado da via está a retardar o desenvolvimento de Kaluka, cuja comuna está desprovida dos serviços sociais básicos como a água potável e a energia eléctrica, só para citar estes.

Segundo a autoridade tradicional, os produtos do campo produzidos na localidade apodrecem, ciclicamente, por dificuldades no seu escoamento à sede municipal, Mbanza Kongo, porquanto os automobilistas há muito deixaram de frequentar aquele itinerário.

Outra situação, que também foi apresentada ao governador provincial, é a falta de uma ponte sobre o rio Mbridge, limítrofe entre Kaluka e o município do Bembe, província do Zaire, que restringe a interacção entre membros de famílias residentes em ambos os lados.

Afonso Martins Augusto, taxista que constantemente frequenta essa estrada com uma viatura todo-terreno, classificou de lastimável o estado da estrada e pediu, encarecidamente, a quem de direito, para que reabilite este troço.

Explicou que, a corrida de táxi neste destino subiu de mil para mil e 500 Kwanzas, desde Janeiro do presente ano, devido as chuvas que caem regularmente nesta região e que agudizaram, ainda mais, a situação degradante da estrada.

Em declarações à imprensa, o administrador adjunto de Mbanza Kongo para o sector político e social, Manuel Nsiansoki Gomes, aventou a hipótese de trabalhos paliativos de reabilitação deste troço, em 2019.

Explicou que a visita serviu para identificar pontos mais críticos da estrada que conduz à comuna de Kaluka que conta com uma população estimada em três mil e 261 habitantes, que se dedicam à agricultura de subsistência.

A sede da comuna do Kaluka está situada a 95 quilómetros a Sudoeste da cidade de Mbanza Kongo.