Domingo, 17 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Covid-19: Angola regista primeiras duas mortes


29 Março de 2020 | 17h33 - Actualizado em 30 Março de 2020 | 09h38

Sílvia Lutukuta - Ministra da Saúde (ao centro)

Foto: Alberto Juliao



Luanda - Dois dos infectados com coronavírus em Angola acabaram por falecer sábado, 28, em Luanda, anunciou, neste domingo, a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta.


Trata-se de um indivíduo do sexo masculino, de 59 anos de idade, residente regularmente em Portugal e regressado no dia 12 a Angola, e de um segundo caso de um jovem, também angolano, do mesmo sexo, de 37 anos, regressado a Angola no dia 13 de Março.

Quanto aos casos de infecção confirmados, somam-se sete, incluindo os dois mortos, de acordo com a ministra, que fazia o balanço diário dos efeitos da doença no país.

Equipa de saúde rastreia parentes próximos

Durante a conferência de imprensa, a governante afirmou que uma equipa de saúde pública está a ir atrás dos contactos próximos aos falecidos para os notificar, testar e submetê-los a uma quarentena domiciliar e institucional.

A ideia, segundo a ministra, é diagnosticar e travar a proliferação do novo coronavírus, bem como evitar uma transmissão comunitária massiva.

Esse procedimento está a ser observado também para os contactos e ou familiares dos cinco outros pacientes infectados e internados nas principais unidades hospitalares de Luanda.

Em face à situação, a ministra não descarta o reforço das medidas de quarentena geral no país, no âmbito do regime de Estado de Emergência em que se encontra o país, para se evitar a propagação comunitária nos próximos 15 dias.

Reiterou que, nas próximas duas semanas, serão feitos rastreios aleatórios em centros de maior concentração populacional, como mercados e outros, para se eliminar a cadeia de transmissão local.