Sexta, 04 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Covid-19: MINSA quer jornalistas como promotores da saúde pública


11 Agosto de 2020 | 16h51 - Actualizado em 11 Agosto de 2020 | 17h39

Luanda - A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, exortou, nesta terça-feira, em Luanda, os jornalistas a sentirem-se verdadeiros promotores de saúde pública, divulgando informações fidedignas que possam influenciar e mudar o comportamento dos cidadãos.


A governante, que falava no final de uma formação dirigida aos jornalistas e fazedores de opinião (opinion makers), reconheceu que os profissionais da comunicação social desempenham um papel fundamental na mobilização e mudança de comportamento da população na luta contra o novo coronavírus.

“Precisamos e contamos cada vez mais com a contribuição da comunidade jornalística, para nos ajudar a tocar no coração dos angolanos, informando às populações sobre a existência e gravidade da Covid-19 no país”, sublinhou.

Recordou que a redução de casos positivos no país depende muito do nível de informações e conhecimento que os cidadãos tiverem sobre a doença, assim como do cumprimento rigoroso das medidas de prevenção por parte da população.

A concretização desse desafio, considerou, passa, essencialmente, por uma comunicação clara, verdadeira e eficaz dos meios de comunicação social em Angola.   

Segundo a ministra, as autoridades sanitárias do país estão disponíveis para trabalhar com os jornalistas e fazedores de opinião, partilhando todas informações necessárias para disseminar a literacia sanitária no seio das populações. 

Sílvia Lutucuta reiterou ainda a necessidade de todos os cidadãos engajarem-se na luta contra o novo coronavírus, com vista a cortar a cadeia de transmissão e proteger a saúde das famílias, bem como reduzir o impacto social e económico desta doença na vida dos angolanos.

Em função do aumento do número de casos que se tem registado nos últimos meses, em Angola, Sílvia Lutucuta pediu aos cidadãos que se abstenham de discriminar e estigmatizar as pessoas infectadas pela Covid-19, apelando a solidariedade no seio das famílias.

A formação, promovida pelo Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, visou dotar de conhecimentos os jornalistas e fazedores de opinião, para que se promova uma comunicação uniforme e engajar todos cidadãos na luta contra a Covid-19, que já provocou a morte de 78 pessoas no país.

Na ocasião, os profissionais da comunicação social tomaram conhecimento das projeções do número de casos positivos para os meses de Agosto e Setembro, bem como das medidas sanitárias que se devem tomar diante da circulação comunitária do vírus Sars-Cov-2 em Angola.

De acordo com o demógrafo e economista José Ribeiro, o país poderá ter 45 mil casos de Covid-19 até Setembro, caso não sejam observadas todas as medidas de prevenção.