Sexta, 04 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Covid-19: Huíla aguarda por mais de 500 resultados


02 Outubro de 2020 | 13h04 - Actualizado em 02 Outubro de 2020 | 13h03

Lubango - Pelo menos 519 amostras foram enviadas no mês de Setembro pela província da Huíla, para análise em laboratórios de biologia molecular de Benguela e Luanda, estando-se a aguardar pelos resultados de RT-PCR, para despistar casos da covid-19.


Desde que se verificou o primeiro caso positivo na província, a 12 de Agosto deste ano, a Huíla tem um acumulativo de 834 amostras enviadas para testagem, que resultaram em 22 casos positivos, quatro dos quais morreram.

Até agora há o registo de 15 casos activos, três dos quais graves e três recuperados, além de 11 outros assintomáticos. As amostras colhidas dizem respeito, segundo revelou à ANGOP uma fonte do gabinete provincial da saúde, a contactos directos e indirectos dos casos positivos existentes até hoje.

Em quarentena institucional estão 41 pessoas, 20 no Lubango, dez na Matala, nove em Quilengues e dois no Quipungo.

Outras 205 estão em confinamento domiciliar, estando o município do Lubango a liderar o gráfico com 140. Preenchem o quadro a Matala, Quilengues, Caconda, Quipungo, Chicomba, Chibia, Caluquembe, Humpata e Cuvango.

Apesar de ter sido uma das primeiras províncias a instalar um laboratório de biologia molecular, doado por Portugal à Universidade Mandume e instalado no hospital Agostinho Neto, em Julho último, sente-se a falta de um aparelho de fluxo laminar de nível 2, para conferir maior fiabilidade aos resultados.

O laboratório de virologia para diagnosticar casos da covid-19 na Huíla, montado no Hospital Central do Lubango “ Agostinho Neto” começou a 20 de Agosto a efectuar de forma experimental o diagnóstico da doença.

Este está a realizar seis testes diários, mas teve de interromper, enquanto se aguarda pelo aparelho complementar.