Terça, 24 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Covid-19: Profissionais de saúde recebem material de biossegurança


29 Outubro de 2020 | 20h36 - Actualizado em 29 Outubro de 2020 | 21h35

Huambo - Os profissionais de saúde dos municípios do Huambo, Caála e Ecunha beneficiaram, esta quinta-feira, de mil e 555 viseiras protectoras.


Entre os beneficiários, constam médicos, enfermeiros e agentes de desenvolvimento comunitário e sanitário, numa iniciativa da organização não-governamental Visão Mundial.

Do total de material distribuído, o município do Huambo, sede da província com o mesmo nome, beneficiou de 900 viseiras, incluindo máscaras, à semelhança da Caála e Ecunha, com o objectivo de garantir maior segurança aos profissionais da saúde, em permanente exposição ao vírus SARS-CoV-2

Conforme o representante desta ONG, Jorge Pires, em declarações à imprensa, a iniciativa está enquadrada na campanha “Juntos na luta contra a Covid-19”, que decorre também nas províncias de Luanda e do Cuanza Sul, com financiamento da petrolífera Total.

Informou que o projecto inclui a produção de máscaras e de sabão, por um grupo de mulheres empreendedoras, assim como viseiras protectoras e a instalação de tambores/lavatórios nos locais com maior aglomeração populacional: centros de saúde e de acolhimento, unidades policiais, igrejas e mercados.

Jorge Pires informou que o processo de distribuição de viseiras protectoras será extensivo e abrangente para as províncias onde a Visão Mundial está implementada, dentro do cumprimento da missão humanitária no desenvolvimento, com foco nas áreas de saúde, nutrição, protecção à criança, água e saneamento.

Já o administrador do município do Huambo, João Calão Manuel Figueiredo, enalteceu a iniciativa da ONG, numa altura em que os casos desta pandemia tendem a aumentar.

O administrador assegurou que o equipamento irá beneficiar 36 unidades sanitárias.

A província do Huambo tem registados  62 casos positivos, com 49 recuperados e dois óbitos.

A Visão Mundial opera em Angola desde 1989, em parceria com o Governo angolano, nos sectores agrário e comunitário.