Sexta, 27 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Covid-19: Três jornalistas com resultados reactivos


31 Outubro de 2020 | 22h06 - Actualizado em 31 Outubro de 2020 | 22h06

Luanda - Três, dos 69 profissionais de diversos órgãos de comunicação social testados este sábado, em Luanda, expressaram a probabilidade de terem entrado em contacto com o vírus da Covid-19 (casos reactivos), no âmbito do processo de testagem rápida sorológica que decorre no país


A testagem, dirigida aos jornalistas, repórteres de imagem, entre outros funcionários destacados no Centro de Imprensa Aníbal de Melo (CIAM), visou aferir o estado clínico dos profissionais engajados na cobertura diária de actualização dos dados sobre à pandemia no país, numa iniciativa da Comissão Multissectorial de Prevenção e Combate à Covid-19.

Segundo apurou Angop no local, as três pessoas que foram reactivas ao teste rápido serão submetidas à colheita de amostras na próxima terça-feira, para confirmar ou descartar os eventuais casos positivos de Covid-19 nesses profissionais, através do teste de biologia molecular RT-PCR.

Além da testagem rápida aleatória realizada este sábado, os profissionais destacados no CIAM já foram testados duas vezes, em Junho último, com o uso do teste de biologia molecular RT-PCR.

O resultado do teste rápido, que serve para aferir a real situação da circulação do vírus nas comunidades, é provisório e deve ser confirmado pelo exame de biologia molecular RT-PCR.

Ao actualizar os dados epidemiológicos das últimas 24 horas no país, o secretário de Estado para Saúde Pública, Franco Mufinda, referiu que, até ao momento, os laboratórios já processaram um total de 157 mil e 555 amostras, dos quais dez mil e 805 pessoas testaram positivo à covid-19.

Dos dez mil e 805 infectados, 4.523 pessoas recuperam da doença, 5.998 estão activos e 284 morreram, desde que Angola registou os dois primeiros casos positivos de Covid-19.