Quinta, 03 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Ministra esclarece segundo caso da Lunda Norte


28 Outubro de 2020 | 10h10 - Actualizado em 28 Outubro de 2020 | 10h17

Ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta Foto: Pedro Parente

Dundo - A ministra da Saúde, Sílvia Lutukuta, esclareceu, na terça-feira, no Dundo, que houve um engano por parte dos técnicos do laboratório de Luanda, no caso positivo da Covid-19 de uma cidadão de 28 anos de idade incluída na estática da província da Lunda Norte.


Em declarações à imprensa no final da sua visita a província da Lunda Norte, a governante explicou que a cidadã não foi testada na Lunda Norte e que os técnicos de estatísticas confundiram a naturalidade com o local de residência.

Conforme a ministra, já está acautelado, assegurando que a referida paciente é assintomática e que recebe assistência médica numa das unidades de referência de Luanda.

Apelou, por isso, calma e o redobrar das medidas de prevenção colectiva e individual, para se conter a propagação do vírus, tendo em conta o índice de vulnerabilidade da província, que partilha uma vasta fronteira (770 quilómetros) com a República Democrática do Congo.

Relativamente a escassez de testes rápidos na Lunda Norte, Sílvia Lutukuta assegurou que tudo está ser feito para se ultrapassar tal situação o mais breve possível.

Hospital de Campanha

Por outro lado, a ministra reiterou que o Hospital de Campanha da Lunda Norte, com 200 camas, é funcional e tem todas as condições necessárias para o internamento e tratamento de pacientes com patologias leves e graves.

A ministra afirmou que a unidade tem, igualmente, condições materiais e técnicas para acudir a quaisquer endemias ou patologias que possam surgir no futuro, apelando aos gestores da referida unidade sanitária no sentido de cuidarem do equipamento para que dure muitos anos.

O hospital de campanha está constituído por 27 naves preparadas para receber e tratar pacientes com patologias leves, assintomáticos e graves (cuidados intensivos), áreas para logística, laboratório e Raio X, balneários, sala dos médicos e para a administração da unidade, entre outros compartimentos.

A província da Lunda Norte, com 71 cidadãos em quarentena domiciliar, tem o registo de um caso positivo já recuperado.