Terça, 19 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Moxico: Cidade do Luena existe há 60 anos


18 Maio de 2016 | 12h39 - Actualizado em 18 Maio de 2016 | 12h37

Luena - A cidade do Luena é a comuna satélite do município do Moxico e capital provincial homónima (Moxico), que celebra esta quarta-feira, 60 anos de existência, desde que ascendeu a esta categoria a 18 de Maio de 1956.


(Eusébio da Fonseca)

Chamava-se vila Luso quando substituiu a antiga sede distrital, o Moxico-Velho, situado 20 quilómetros a sul do Luena, por interesses económicos, fundada pelo primeiro governador colonial português D. António de Almeida.

A ex-vila Luso foi fundada pelo tenente-coronel Trigo Teixeira, em Março de 1895, na sua primeira expedição à região, após a extinção da primeira sede provincial.

O alto-comissário de Angola, general Norton de Matos, natural de Ponte de Lima – Portugal, passou pela primeira vez em 1922, na sede do actual Moxico (Luena) e de seguida fixou em concelho do Governo, o nome de Vila Luso, através da Portaria de 25 de Fevereiro de 1922.

Com a independência, alcançada a 11 Novembro 1975, passou a chamar-se de Luena, nome de um rio que banha o extremo sul da cidade, actualmente habitada por mais de 300 mil habitantes.

Luena é a quarta comuna do município do Moxico, sede, depois de Muangai, Lucusse, Cangumbe.

É conhecida por cidade da paz, por ostentar o Monumento à Paz, que simboliza o fim do conflito armado que o país viveu.

Situa-se entre os paralelos 11º 47' de Latitude Sul e 19º 53'de Longitude Este e habitada por diversos grupos étnicos linguísticos, designadamente, Côkwe (o mais populoso), Luvale, Ovimbundu, Bundas, Luchazes e Lunda Dembo.

Luena está numa zona que tem, em média, 1. 350 Metros acima do nível do mar, possuindo um clima tropical modificado pela altitude com uma pluviometria média anual a volta de 1.200 mm e temperatura média de 21ºC.

Dados históricos revelam que a chegada dos primeiros portugueses nestas paragens é fruto da continuação das expedições de Silva Porto, Serpa Pinto, Capelo e tenente-coronel Trigo Teixeira, entre 1894/1895, tendo edificado uma fortaleza (colonia penal agrícola e militar), substituída pouco depois por uma capitania-mor.

Essas expedições deram origem a criação do distrito do Moxico (actual província), a 15 de Setembro de 1917, através do Decreto 3.365.