Sábado, 16 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Acidentes de viação causam 92 mortes em 12 meses no Cuanza Norte


06 Fevereiro de 2019 | 11h16 - Actualizado em 06 Fevereiro de 2019 | 11h29

Acidentes de viação continuam a fazer vítimas humanas

Foto: Lucas Leitão



Ndalatando - Noventa e duas pessoas morreram e 523 ficaram feridas em consequência de 383 acidentes de viação registados entre Janeiro a Dezembro de 2018 no Cuanza Norte, informou o Comando Provincial da Polícia Nacional.


Num balanço sobre os registos da sinistralidade rodoviária na região, entregue terça-feira à Angop em Ndalatando, a corporação observou ter havido uma redução de dois óbitos, em relação a 2017, assim como também de 60 feridos e 17 acidentes.

Os desastres consubstanciaram-se em 114 atropelamentos (+13), 76 despistes (-18), 63 colisões entre veículos automóveis (-16), o mesmo número de colisões entre carros e motorizadas (+04), 33 capotamentos (+01),18 colisões entre motociclos (-02) e 16 choques entre veículos e obstáculos fixos (+01).

Os acidentes causaram danos materiais avaliados em 245 milhões 255 mil e 700 kwanzas, 101 milhões, 45 mil e 190 a menos, em relação ao ano anterior.

O desrespeito ao Código de Estrada, o mau estado técnico das viaturas, o excesso de velocidade, ultrapassagem irregular, entre outros, estão na base dos acidentes na província do Cuanza Norte.

Os municípios do Cazengo com 200 sinistros, Golungo Alto com 49, Cambambe com 41, Lucala com 32, Samba Caju com 21 e Ambaca com 17, destacaram-se no cômputo geral da sinistralidade rodoviária na província.

Comparativamente ao ano anterior a nota sublinha que houve um aumento de 15 acidentes, nove mortes e 36 feridos provocados por motorizadas.

Para contrapor tal situação, avança a nota, a direcção local de Viação e Transito (órgão afecto a corporação) intensificou as acções de regularização e fiscalização do transito automóvel.

Fruto destas acções foram aplicadas quatro mil e 893 multas, como consequência de igual número de infracções do Código de Estrada, no valor de 83 milhões, 343 mil e 822 kwanzas.

Estas coimas resultaram na arrecadação de nove milhões, 397 mil, 754 kwanzas para os cofres do Estado, da cobrança de 894 multas e 888 outras, avaliadas em 16 milhões, 21 mil e 690 remetidas em tribunal para a cobrança coerciva.

Foram ainda apreendidas 176 viaturas e 538 motorizadas, mil e 418 cartas de condução e quatro mil e 673 documentos diversos por violação as regras e trânsito.