Quarta, 25 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Líderes sociais da Huíla e Cunene em formação


08 Novembro de 2019 | 07h44 - Actualizado em 08 Novembro de 2019 | 07h44

Lubango - Quarenta e seis líderes das organizações da sociedade civil das províncias Huíla e Cunene participam desde quinta-feira, no Lubango, num módulo da formação de formadores em género e Vih/Sida, numa indicativa da Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA).


O evento está a servir para capacitar os líderes com conhecimentos para trabalharem como activistas comunitários e reforçar a capacidade institucional da ADRA, nos domínios da sustentabilidade institucional e no processo de desenvolvimento sustentável, com base nas temáticas de direitos das mulheres, género e das Doenças Transmissíveis Sexualmente.

A acção formativa visa promover uma reflexão em termos da metodologia de trabalho, tendo em conta as diferentes abordagens sobre direitos das mulheres.

Em declarações à ANGOP, no Lubango, a coordenadora do projecto género e desenvolvimento da ADRA, Sílvia Mungongo, afirmou que a actividade vai permitir aos participantes disseminar a informação sobre a prevenção de doenças nas comunidades mais distantes e onde não há acesso a comunicação

Afirmou que se pretende chamar a atenção dos decisores para a importância de se garantir os direitos das mulheres e o equilíbrio e equidade do género, que se junta a questão da saúde sexual e reprodutiva, uma vez que a mulher é o grupo mais vulnerável em relação a enfermidade.

Durante dois dias serão abordados matérias ligadas a análise do cumprimento das recomendações do módulo anterior, nível de engajamento/participação das mulheres nas organizações locais (Associações e cooperativas), metodologia Gals tendo em conta as várias abordagens metodológicas sobre direitos das mulheres.

Para sexta-feira vão ser ministrados noções gerais sobre Vih/Sida, emprego e formação profissional (novo código penal), e como os activistas devem trabalharem nas suas comunidades.

Criada em 1990, a ADRA é uma organização não-governamental vocacionada na promoção da construção de um desenvolvimento democrático e sustentável, social, económico e ambiental do país, bem como a reconciliação nacional.