Domingo, 17 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Bairros do Lobito voltam a ter energia após incêndio em subestação


15 Novembro de 2019 | 16h47 - Actualizado em 15 Novembro de 2019 | 16h47

Subestação de energia eléctrica (arquivo)

Foto: Joaquina Bento



Lobito - O fornecimento de energia nos seis bairros da zona alta da cidade do Lobito que ficaram sem electricidade desde quinta-feira à noite, devido a um incêndio na subestação da Quileva, já começou a ser restabelecido na tarde desta sexta-feira, apurou a Angop.


Para além da Centralidade do Lobito e da fábrica de cimento Sécil, o incêndio de pequenas proporções, que atingiu por volta das 19h47 de quinta-feira a subestação da central da Quileva, deixou sem energia os bairros da Boa Vista, Morro da Quileva, Liro, Popular, Golfo e parte do São João, na zona alta da cidade.

Em declarações hoje à Angop, o director de exploração das linhas de média e alta tensão da ENDE na Região Centro,  José Lopes, explicou que o referido incêndio danificou um dos 18 armários de  150/30 kilovolts que recebe os cabos de energia dos postes.

Diz ter havido uma avaria no equipamento em referência e que o fumo e a alta temperatura que se registaram naquele local podem ter provocado a combustão e o incêndio na subestação.

José Lopes garantiu, de igual modo, que os técnicos da ENDE estão no terreno a fazer o trabalho de limpeza e isolamento da área afectada, com vista a repor o normal funcionamento da subestação da Quileva.

Já o director provincial da ENDE em Benguela, Baptista Assis, realçou a intervenção do Corpo de Bombeiros, que controlou o incêndio que deflagrou no Posto de Seccionamento da subestação da Quileva, o que levou a empresa a desligar, por precaução, a energia em toda a zona alta da cidade do Lobito.

Quanto à previsão para o retorno da energia, Baptista Assis, que falava a jornalistas, referiu que as equipas de manutenção trabalham para, até à tarde desta sexta-feira, reporem 80 porcento da electricidade nos bairros referidos, ao passo que os restantes 20 porcento poderiam ser repostos até ao final do dia.

Sem indicar o número de consumidores da empresa que ficaram sem energia, o director da ENDE em Benguela admitiu que, embora a causa do incêndio tenha sido um curto-circuito, as equipas investigam agora por que razão o incidente ocorreu no Posto de Seccionamento da subestação da Quileva.

O vice-governador provincial de Benguela para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Leopoldo Muhongo, já esteve no local e reforçou a ideia de que, pelo ritmo dos trabalhos de reparação, os moradores dos bairros da zona alta da cidade do Lobito teriam já, a partir desta sexta-feira, o retorno gradual da energia eléctrica.

Após receber explicações técnicas sobre os danos causados pelo incêndio e o impacto provocado às famílias que ficaram temporariamente privadas de energia eléctrica, o governante destacou o trabalho das equipas da ENDE e dos Bombeiros, visando a reposição paulatina de electricidade aos bairros afectados.

Também o porta-voz do Comando Provincial de Benguela do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, subinspector Eduardo dos Santos, referiu que o incêndio na subestação da Quileva só foi controlado por volta das 22h40, mas que a intervenção da corporação evitou danos materiais naquela infra-estrutura.  

Ainda acrescentou que vinte bombeiros trabalharam no combate às chamas, no período das 21h30 às 22h40, apoiados por duas viaturas operativas.

A subestação da Quileva, localizada no morro com o mesmo nome na zona alta da cidade do Lobito, província de Benguela, tem uma capacidade instalada de 46 Megawatts. No período nocturno a sua utilização máxima chega aos 22 MW, enquanto durante o dia são produzidos apenas 18 MW.

Actualmente, a província de Benguela tem mais de 108 mil consumidores controlados pela ENDE. Destes, mais de 23 mil são do novo sistema pré-pago.