Segunda, 25 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Invasão de terra domina encontro de auscultação em Viana


18 Julho de 2019 | 15h31 - Actualizado em 18 Julho de 2019 | 15h31

Ocupação de terreno

Foto: Angop



Luanda - Os municipes de viana reuniram-se hoje (Quinta-feira) no primeiro encontro de auscultação das comunidades para falar da invasão de terras, criminalidade, iluminação públicas e saneamento básico.


Os camponeses, presentes no encontro, lamentaram o facto dos seus campos  continuarem a ser ocupados por “invasores de terra” que as vendem para empresários para a construção de condomínios.

De acordo com os  relatos, os agricultores acabam por abandonar as terras depois de atacados, sob ameaça de armas de fogo e branca, por homens organizados.  

Afirmaram ainda que a morosidade na resolução destes casos, quer nas administrações locais como nos Tribunais, tem servido para incentivar os invasores e ocupantes de terras.

No encontro, orientado pelo administrador municipal Fernando Eduardo Manuel, os camponeses pediram ainda que sejam valorizadas as cooperativas e associações agrícolas.

O conselho municipal de auscultação da comunidade, reunido no auditório da Universidade Jean Piaget, debateu o deficiente fornecimento de energia e água, degradação das vias rodoviárias, venda desordenada e a actuação negativa dos fiscais, degradação das pedonais e da biblioteca de Viana.

Sublinharam a importância do diálogo inclusivo para a boa governação, bem como encorajaram o administrador a proceder visitas surpresas, no período nocturno, aos hospitais e centros de saúde.

Os participantes manifestaram descontentamento face as alterações das paragens de táxi na vila de Viana e pediram um serviço de mototaxi organizado, a reposição da ponte partida que dá acesso ao município de Cacuaco.

Os munícipes foram informados da instalação de 294 novos postos de transformação de energia, bem como da estratégia traçada para os sectores do saneamento básico, tráfego e mobilidade, fiscalização e comércio.