Domingo, 17 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Igreja tocoísta anuncia ajuda às vítimas da seca


20 Outubro de 2019 | 17h48 - Actualizado em 21 Outubro de 2019 | 10h49

Luanda - O bispo da Igreja Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (tocoísta), Afonso Nunes, anunciou domingo que a Igreja Tocoista está a recolher valores monetários para a aquisição de bens de primeira necessidade para apoiar as vitimas da seca no sul de Angola.


O anúncio foi feito à imprensa à margem de um culto de acção de graças alusivo ao 70º aniversário da prisão do profeta Simão Gonçalves Toco pelas autoridades belgas.

Segundo o religioso, numa primeira fase serão providenciados, através da Fundação Simão Gonçalves Toco, entre 20 e 30 toneladas de bens diversos, que serão entregues às autoridades competentes para a sua distribuição aos cidadãos mais afectados pela seca.

Sobre a prisão de Simão Gonçalves Toco, o bispo disse que o acto de repressão das autoridades belgas valeu a expansão do tocoísmo no seio das populações e o sentimento de nacionalismo em África e em Angola, em particular.

A 22 de Outubro de 1949, as autoridades coloniais belgas prenderam o profeta Simão Toco, permanecendo cerca de três meses nas cadeias de Ndolo e Filtra, tendo sido igualmente detidos em 100 seguidores. O total de fiéis presos no mundo era de três mil.

A Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo foi “relembrada” a 25 de Julho de 1949 pelo profeta Simão Gonçalves Toco, reconhecida pelo Estado angolano. Está implantada em mais de 30 países de África, Europa, Ásia e América Latina.