Terça, 01 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Cultos religiosos preocupam PN


06 Abril de 2020 | 20h28 - Actualizado em 06 Abril de 2020 | 21h08

Waldemar José , Porta-Voz do ministério do interior Foto: António Escrivão

Luanda - As forças de defesa e segurança estão preocupadas com o crescente número de líderes religiosos que continuam a realizar cultos clandestinos, no interior de residências, acção que viola o Estado de Emergência contra o COVID-19.


Nas últimas 24 horas foram detidos líderes religiosos da IESA, IECA e MESA, segundo informou hoje (segunda-feira), em conferência de imprensa, o porta-voz das forças de defesa segurança, Waldemar José.

Os aludidos líderes, que devem serem julgados sumariamente por desacato a autoridade, foram detidos nas províncias da Huíla, Namibe, Lunda Sul e Cuanza Sul.

Ainda relativamente a desacatos, nas últimas 24 horas, houve um incremento de actos de desobediência civil, levando as autoridades a deterem 334 cidadãos nacionais e 167 estrangeiros, na fronteira, por imigração ilegal, e apreenderam 37 viaturas e 234 motorizadas.

Manifestou igualmente preocupação com o crescente número de cidadãos que se está a deslocar de uma província para outra, por via dos camiões autorizados a circular com mercadoria.

Quando isso acontece, disse, os cidadãos são convidados a regressarem a procedência e, em caso de resistência, são detidos.

“Estamos atentos e vamos redobrar a vigilância para a manutenção da ordem e tranquilidade públicas”, disse.

Com os dois casos anunciados hoje, o país passa a contar com 16 casos positivos, entre os quais dois mortos, dois recuperados e restantes em tratamento.

Até ao momento todos os casos positivos registados no país foram importados, não havendo qualquer contaminação ao nível das comunidades.

Dos 16 infectados, dois morreram, dois recuperaram e os demais seguem em tratamento.