Domingo, 17 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Capacidade de recolha do lixo reforçada no Lubango


04 Junho de 2020 | 10h38 - Actualizado em 04 Junho de 2020 | 10h46

Pormenor da cidade do Lubango

Foto: Morais Silva



Lubango - Sessenta e duas motorizadas de três rodas foram adquiridas pela administração do Lubango e reforçam, desde a última semana de Maio, os serviços de saneamento, através do modelo de recolha de lixo ao domicílio, juntando-se as 39 já existentes.


O trabalho de recolha de resíduos passa assim a ser feito por 101 motociclos, sendo que 24 foram disponibilizadas em 2019, na primeira fase, e 15 em Fevereiro deste ano, a seis cooperativas que efectuam a recolha do lixo em residências, mediante um contrato semanal.

Segundo o director municipal do Saneamento Básico Espaços Verdes e Cemitérios, Venâncio Muatchitanga, em entrevista à Angop, com esse reforço, novos bairros entraram para o sistema, nomeadamente  Tchavola, Tchioco, Cow Boy, Centralidade da Quilemba, Nambambe e Eiwa.

Venâncio Muatchitanga referiu que para os bairros com maior fluxo de produção do lixo foram dadas quatro motorizadas e as restantes entre duas a três.

Sublinhou que o novo modelo de recolha arrancou em Setembro de 2019 nos bairros da Lage, Minhota, Comercial, Hélder Neto, Valódia, Santo António, com uma taxa de pagamento de 200 Kwanzas semanais.

Explicou que a maior dificuldade enfrentada pelos agentes comunitários prende-se aos moradores que preferem depositar o lixo em lugares impróprios, em vez de acondicioná-los no recipiente que facilite o processo de recolha pelas motos.

No mês de Maio foram retiradas da cidade e nas periferias cento e duas toneladas de lixo nesse novo modelo que deixou a cidade sem focos.

“Estas motorizadas nos ajudam a chegar em locais de difícil acesso, onde nossos camiões do lixo estão impossibilitados, tornando a urbe cada vez mais limpa, para além de ter gerado até agora 73 novos empregos”, afirmou.