Quarta, 25 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

PIIM retira serra da "Kapalandanda" do abandono


11 Julho de 2020 | 06h45 - Actualizado em 11 Julho de 2020 | 06h44

Benguela: Obras de construcão do posto de saúde da serra da Kapalandanda Foto: Cortesia do GCS da Administração Municipal da Catumbela

Lobito - A comunidade de ex-militares da serra da Kapalandanda, uma localidade de difícil acesso do município da Catumbela, começa a conhecer outro alento, com a construção, há um mês, do primeiro posto de saúde, financiado pelo Programa Integrado de Intervenção Municipal (PIIM).


Para o efeito, o PIIM canalizou mais de 79 milhões de kwanzas para as obras da infra-estrutura, que começou a ser construída em Maio último, pela empresa Construções Europa Arlindo Lda., que prevê a sua conclusão para Janeiro de 2021, ao passo que a fiscalização coube à firma Linhas Desenho e Engenharia SA, no valor de dois milhões de kwanzas.

Após explicações dadas ao vice-governador provincial de Benguela para os Serviços Técnicos e Infra-estrutura, Leopoldo Muhongo, que esta semana inspeccionou a empreitada, o fiscal Hegas Calipa situou em 18 porcento o estado de execução dos trabalhos, depois de finalizadas as fundações e iniciada a alvenaria (levantamento de paredes).

Segundo Hegas Calipa, depois de concluídas as obras, o posto sanitário terá três consultórios, quatro balneários, uma farmácia, sala de hidratação e um laboratório de análises clínicas.

“Houve dificuldades no princípio, mas agora a obra segue a bom ritmo”, diz o fiscal, que só reclama dos 15 quilómetros da subida íngreme da via de acesso à serra da Kapalandanda.

Já António Pires, encarregado de obras da Construções Europa Arlindo Lda., promete tudo fazer para concluir o empreendimento a 7 de Janeiro de 2021, data acordada com a administração municipal da Catumbela.

Mas, o estado péssimo da via não passa despercebido aos olhos de António Pires, que acredita que futuramente a administração vai reparar o acesso para criar um aldeamento com melhores condições de vida, porque os terrenos já estão loteados.

“Faço 15 quilómetros em 35 minutos para chegar à Catumbela, a andar entre 10 e 20 Km/hora. Se não, parto o carro todo”, conta, descrevendo que subir e descer diariamente a serra da Kapalandanda é uma "missão quase impossível", sobretudo por causa do caminho pedregoso, do princípio ao fim.

População já festeja

A obra do posto de saúde ainda não terminou, mas a população da Kapalandanda já pressente os benefícios que se farão sentir no próximo ano, com o fim do “calvário” de transportar doentes de mota para o Hospital de São Pedro, na sede municipal da Catumbela, a 15 quilómetros daquela serra.

João Saniango, antigo militar do extinto braço armado da Unita (Falas) e hoje soba do bairro da Kapalandanda, é um dos mais de 400 habitantes da localidade montanhosa que festeja de forma antecipada a chegada do PIIM e reconhece que todos ressentem da falta de um posto sanitário.

Por outro lado, contou que os transportes viraram uma raridade aos olhos das crianças, que estranham ao ver passar de quando em vez um carro, sobretudo camiões cisternas que arriscam subindo os 15 quilómetros do troço íngreme para levar água à população.

Depois do posto de saúde, o desafio será a construção da primeira escola primária, como defende o soba, adiantando que as crianças da Kapalandanda ainda percorrem quilómetros a pé para estudar.

Terraplanagem da via na forja

Na resposta às preocupações dos habitantes da Kapalandanda, o administrador municipal da Catumbela, Fernando Belo, olha para a conclusão do posto de saúde como prioridade na zona e só depois ver a questão da escola e da água, ainda em falta.

Como o terreno não possibilita fazer furos para a captação de água, o responsável afirma que, nesta fase da situação de calamidade pública, em face da covid-19, o abastecimento é feito com cisternas, simplesmente para minimizar a carência do “precioso líquido” na localidade.

Relativamente à estrada, Fernando Belo reconhece os problemas de acessibilidade e aponta o PIIM como a solução para a terraplanagem da referida subida e, com isso, trazer alívio à vida da população.

O posto de saúde da serra da Kapalandanda, um bairro fundado em 2013, por ex-militares desmobilizados, faz parte de um pacote de quatro infra-estruturas para a assistência médica e medicamentosa da população, em construção nas comunas do Biópio, Praia do Bebé e do Gama, município da Catumbela, com recursos do PIIM.