Quinta, 21 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Covid-19: Igrejas em Luanda e Cazengo mantém-se encerradas


08 Agosto de 2020 | 20h47 - Actualizado em 09 Agosto de 2020 | 10h23

Ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida

Foto: Domingos Cardoso



Luanda - A actividade religiosa, em especial os cultos, na província de Luanda e no município do Cazengo ( Cuanza Norte), mantém-se encerrada, em virtude da contínua cerca sanitária.


Segundo o ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, a orientação consta do novo Decreto Presidencial, a vigorar entre 10 deste mês a 08 de Setembro deste ano.

Adão de Almeida, que fazia a apresentação das novas medidas adoptadas pelo Governo Angolano no âmbito do combate e prevenção contra a Covid-19, explicou que para as províncias onde se exerce a actividade religiosa mantém-se o limite máximo de 150 pessoas no interior dos templos.

Relativamente aos ajuntamentos, disse que continuam no limite de 15 pessoas no espaço domiciliar e 10 na via pública, sendo que para os salões de festas é proibido qualquer ajuntamento para que fim for.

O ministro esclareceu que o organizador de uma actividade num salão de festas e o respectivo proprietário do espaço, quando atuados, pagarão uma multa que ronda os 100 mil a 150 mil kwanzas.