Quarta, 25 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Destruídas construções anárquicas em Viana


27 Outubro de 2020 | 11h05 - Actualizado em 27 Outubro de 2020 | 16h37

Luanda - Trinta e oito lojas, 12 residências inacabadas e 15 alicerces, localizados no terreno adjacente à Centralidade do Zango 5 e perímetro do futuro Aeroporto Internacional de Luanda, foram destruídos nesta segunda-feira pela Administração Municipal de Viana.


Em declarações hoje à ANGOP, o director municipal da fiscalização de Viana, Paulo Vaz, disse que as infra-estruturas destruídas estão avaliadas em 280 milhões de kwanzas, em benefício dos invasores, que seriam comercializadas a terceiros.

Precisou que a operação feita com a protecção de efectivos da Polícia Nacional se deve ao facto de os terrenos serem reservas do Estado e que os implicados o fazem sem a prévia autorização das autoridades competentes.

De acordo com o responsável, nesta acção, estão envolvidas várias pessoas ligadas à administração local, elementos da fiscalização, da Polícia Nacional e das comissões de moradores.

Informou que os envolvidos neste  processo ilegal, ainda em fase de investigação, serão apresentados às autoridades judiciais para a tomada de medidas, conforme a lei vigente.

Realçou, igualmente, que este tipo de acção se realiza às noites e que os implicados integram um grupo de elementos que fazem desta prática um negócio ilegal.

Paulo Vaz alertou que os fiscais, perfeitamente identificados, serão punidos e expulsos da instituição após as investigações em curso, bem como serão posteriormente entregues ao Serviço de Investigação Criminal (SIC), Polícia Nacional e Ministério Público.

"Vamos agir severamente com multas pesadas contra todos que queiram continuar com estas práticas condenáveis, para que a tranquilidade retorne aos munícipes", assegurou.

O município de Viana, que dista a 20 quilómetros do centro da cidade de Luanda, é composto pelos distritos urbanos do Zango, Estalagem, Vila Flor, Baia, Kikuxi, Vila-Sede e Comuna de Calumbo.