Quarta, 25 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Comissão Multisectorial denúncia campanha de premiação "Kwenda"


30 Outubro de 2020 | 20h46 - Actualizado em 30 Outubro de 2020 | 21h57

Comunidade da Cacula recebe informações sobre programa Kwenda Foto: Morais Silva

Luanda - A Comissão Multisectorial do Projecto de Fortalecimento de Protecção Social considerou, nesta sexta-feira, falsa uma campanha de premiação promovida por desconhecidos.


Em nota a que a Angop teve acesso, a comissão considera fala a campanha promovida através dos números telefónicos 945567241, 925068485, 945676566 e 945567247, pelo site: http//www.unitel.ao, anunciando premiação de bens alimentares e de electrodomésticos.

A comissão  apela os cidadãos e as famílias a não aderirem a tais promessas falsas e a denunciarem todo e qualquer acto que atente contra o bom nome, transparência, eficácia e credibilidade do Projecto Kwenda.

“A coordenação descarta qualquer responsabilidade ou ligação com as mensagens que estão a ser enviadas para os cidadãos dos vários pontos do país, por oportunistas e aproveitadores que pretendem, através do Kwenda, tirar proveitos para benefício próprio, denegrindo e desvirtuando a essência do projecto”, lê-se na nota.

O Projecto de Fortalecimento de Protecção Social “Kwenda” foi lançado em Maio deste ano,  no município Nzeto, província do Zaire, destinado a apoiar um milhão seiscentos e oito mil famílias em situação de vulnerabilidade nos 164 municípios do país.

Comporta quatro componentes,  designadamente Transferências Sociais Monetárias, Municipalização da Acção Social, Inclusão Produtiva  eReforço da Cadastro Social Único.

Até à presente data foram  atendidos 30 mil agregados familiares de cinco municípios do país estão a beneficiar de 25 mil kuanzas, por trimestre

A meta do Executivo é 300 mil pessoas dos agregados até final de Dezembro.

O programa,  que prevê beneficiar um milhão e 608 famílias de todo o país, conta com o financiamento global de USD 420 milhões (320 atribuídos pelo Banco Mundial e 100 milhões pelo Executivo).

O projecto visa reforçar o sistema de protecção social implementado pelo Executivo angolano e tem seleccionado, numa primeira fase, os municípios de Ombanja, na província do Cunene, Cambundi Katembo (Malanje), Cuito Cuanavale (Cuando Cubando) e Caculo (Huíla) e Nzeto (Zaire).

Na fase-piloto, as transferências monetárias estão a ser feitas mediante atribuição de um cartão multicaixa, carregado trimestralmente.

Os beneficiários têm direito a uma renda mensal de 8.500 kwanzas, à razão de 25.500 kwanzas trimestrais.  

A pretensão do Governo é mitigar o impacto da pobreza, aumentar a autonomia e as condições sócio-económicas das famílias em situação de vulnerabilidade.