Quinta, 03 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Confirmado retorno da TCUL três anos depois


08 Março de 2019 | 00h51 - Actualizado em 08 Março de 2019 | 00h50

Autocarros na parque da TCUL Foto: Gaspar dos Santos

Huambo - A empresa de Transportes Colectivos e Urbanos de Luanda (TCUL) voltou a operar, esta semana, na província do Huambo, três anos depois, fruto da recuperação da estrada nacional que liga Huambo e Luanda.


Em declarações à imprensa, quinta-feira, o presidente em exercício da TCUL, Pedro Pereira, afirmou que o estado degradante da estrada motivou a suspensão, em 2016, da circulação dos autocarros da empresa pública.

Disse que o conselho de administração da empresa colocou à disposição dos passageiros, nesta fase inicial, dois autocarros, para transportar diariamente, em média, 180 cidadãos.

Confirmou que o bilhete de passagem, entre Huambo e Luanda ou vice-versa, custa cinco mil kwanzas, contrariamente aos 7100 e 8000 praticados por empresas do sector privado.

A TCUL, segundo Pedro Pereira, espera ser a preferida dos passageiros e influenciar as empresas concorrentes a reduzir a taxa de lucro em benefício da população.

Disse ser desafio da empresa aumentar o número de autocarros, em breve, e abrir novas rotas inter-provinciais, começando por Bié, Benguela e Cuando-Cubango, partindo de Luanda, capital do país.

Um outro desafio, segundo o presidente em exercício da TCUL é o lançamento das rotas inter-municipais, nas províncias do Huambo e Bié, e a implementação de novos serviços nas linhas dos caminhos de ferros de Benguela e Luanda.

A TCUL é uma empresa estatal a exercer uma vertente empresarial e outra social, um papel a si acometido pelo Governo para servir a população da capital (Luanda) e reduzir as suas dificuldades de locomoção.