Sábado, 28 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Reparação da linha férrea condicionada à mobilização de meios técnicos


31 Março de 2020 | 19h19 - Actualizado em 31 Março de 2020 | 19h19

CFB condiciona reparação da línha férrea Foto: Clemente dos Santos/arquivo

Cuito - Os trabalhos de reparação dos 25 metros da linha férrea na localidade de Capeio, município do Cunhinga (Bié), inicialmente previstos para segunda-feira, estão condicionados à mobilização de meios materiais e técnicos.


Segundo uma nota de imprensa do Caminho de Ferro de Benguela (CFB) a que a Angop teve acesso esta terça-feira, o referido troço foi afectado com o alargamento de ravinas, que já causou o desabamento de uma passagem hidráulica na localidade de Capeio (Cunhinga), na madrugada de sábado (28), consequências das fortes chuvas registadas naquela povoação.

Neste momento, a empresa continua a trabalhar na mobilização de meios materiais e técnicos, para execução dos trabalhos de reposição da linha férrea, ainda sem data.

Sobre o assunto, a directora do Gabinete Provincial do Bié dos Transporte, Tráfego e Mobilidade Urbana, Adélia Eduardo Ndavoca,  afirmou à Angop que uma equipa técnica do CFB, proveniente da província de Benguela, iria à Capeio para reparar o  troço ferroviário (Cuito/Huambo), interdito desde sexta-feira  (27) à noite, devido à progressão das ravinas.

Adélia Eduardo Ndavoca disse que o restabelecimento da circulação do comboio de carga Cuito/Huambo e vice-versa poderia ser efectivado dentro de poucos dias, tendo em conta a intervenção de técnicos do CFB.

Entretanto, salientou  que em função do “estado de emergência” que se observa  no  território nacional, está suspensa a circulação dos comboios de passageiros no âmbito do combate ao Covid-19.