Domingo, 17 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Covid-19: Camionistas respeitam regras de biossegurança


16 Julho de 2020 | 17h02 - Actualizado em 16 Julho de 2020 | 17h02

Camiões (Arquivo)

Foto: José Falso



Benguela - Automobilistas de longo curso, que transportam regularmente mercadorias diversas entre as províncias de Benguela, Huambo, Bié e do Cuando Cubango, estão a cumprir estritamente as normas de biossegurança, visando evitar a propagação da covid-19 no país, apurou hoje, a ANGOP.


Em declarações à imprensa, ao longo da estrada nacional nº 105, nesta quinta-feira, os camionistas mostraram conhecer a doença, formas de contágio e de prevenção.

Segundo Martins Sicato, que transportava peixe fresco de Benguela para o Huambo, devido à pandemia, viaja actualmente com apenas um ajudante, ao invés dos dois habituais.

Na mesma senda, disse que usam obrigatoriamente máscaras faciais, álcool gel e em algumas ocasiões também fazem uso de luvas.

O camionista referiu ainda que têm tido o cuidado de lavar frequentemente as mãos nas localidades onde fazem paragens obrigatórias.

Lamentou o mau estado de alguns troços da via, sobretudo na ligação entre os municípios do Cubal e da Ganda, na província de Benguela, bem como no município de Chinjenge, no Huambo.

Valdemiro Correia, outro automobilista, partiu da cidade portuária do Lobito com destino ao Cuando Cubango, transportando combustível, numa viagem de três dias.

Devido à covid-19, disse que passou a viajar sozinho, sem recurso a ajudante, e que está sempre munido de máscara facial e álcool gel, para evitar a contaminação pela enfermidade.

Parabenizou as autoridades por criarem postos de controlo em Catengue (Caimbambo), Babaera (Ganda) e Chinjenge (Huambo), onde vistoriam as viaturas e fazem a medição da temperatura, além de exigirem a lavagem das mãos.

Relativamente ao estado das vias, considera que entre Benguela e o Huambo, embora com buracos nalguns troços, anda-se regularmente.

Já do Chitembo (Bié) ao Cuando Cubango, afirmou que a via está péssima.

Já Inocêncio Marcos, que transportava bebidas, também disse que passou a viajar apenas com um ajudante, frisando a presença da Polícia Nacional e de técnicos de saúde nos postos de controlo.

Nesses postos, explicou, são obrigados a mostrar as declarações de permissão de viagem, documentos pessoais e da viatura.

“Mesmo o ajudante, nos postos de controlo têm que apresentar declarações de viagem e quando assim não acontece, automaticamente é autuado”, disse.

Para prevenir-se da pandemia da covid-19, o homem do volante e seu ajudante usam frequentemente máscaras faciais e lavam constantemente as mãos com água e sabão.

O país conta com 576 infectados (475 de transmissão local), 27 mortes, 124 recuperados e 425 activos. Ainda assim, milhares de cidadãos continuam a desrespeitar as medidas de biossegurança impostas pelas autoridades sanitárias.