Quinta, 03 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Covid-19: TAAG retoma voos internacionais terça-feira


21 Setembro de 2020 | 21h15 - Actualizado em 22 Setembro de 2020 | 12h02

TAAG retoma "voos comerciais" internacionais, nesta terça-feira, depois de seis meses de suspensão devido à Covid-19 Foto: Lino Guimarães

Luanda - A Companhia Aérea Nacional (TAAG) retoma, a partir desta terça-feira (dia 22), às operações internacionais, com os "voos comerciais" de passageiros, para Portugal e Brasil, à luz do Decreto Presidencial n.º 229/20, de 8 de Setembro.


Segundo apurou a Angop, a primeira operação desse regresso das actividades está agendada para Lisboa (Portugal), às 11 h 30 minutos, com o regresso previsto para a madrugada de quarta-feira (duas horas da manhã), envolvendo um Boeing 777-300.

Nesta retomada dos “voos comerciais selectivos”, inicialmente previstos para esta segunda-feira (dia 21), ao abrigo do referido decreto, a TAAG fará o percurso Luanda/Lisboa/Luanda três vezes por semana: às terças, quintas e aos domingos.

Para a cidade de São Paulo (Brasil), realizará um voo quinzenalmente, à sexta-feira, também pelas 11h30 minutos, com regresso na madrugada de sábado.

Para o embarque nos voos internacionais de e para Angola, o passageiro deve, obrigatoriamente, apresentar um teste RT PCR, com resultado negativo, efectuado 72 horas antes da viagem, sendo dispensável a autorização da Comissão Multissectorial para a Prevenção e Combate à Covid-19.

Relativamente aos voos domésticos (interprovinciais), é obrigatória a apresentação de testes serológicos, com resultado negativo, realizados 72h00 ou uma hora antes da viagem, sendo dispensado qualquer outro tipo de autorização. 

A TAAG (Linhas Aéreas de Angola) suspendeu os voos domésticos e internacionais no dia 20 de Março último, no âmbito das medidas de restrições impostas pela Covid-19, tendo retomado às operações interprovinciais no dia 14 deste mês.

Entretanto, conforme o DP - 229/20, esses "voos comerciais", que hoje reiniciam, não contemplam viagens em turismo e lazer, estando apenas reservados a passageiros com visto de trabalho/negócio; em busca de tratamento médico; diplomatas e estudantes.

De igual modo, delegações oficiais e cidadãos residentes num destes países. Para o efeito, não precisam de autorização, devendo cumprir com os procedimentos burocráticos e/ou administrativos afins, além de efectuarem o teste à Covid-19 (72h00 antes da viagem).