África com dezenas de milhares de desaparecidos

  • Bandeira da União Africana
Mais de 44 mil pessoas, 45% delas crianças, estão actualmente desaparecidas em toda a África, disse o Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) em um comunicado que marca o Dia Internacional dos Desaparecidos.

De acordo com a AFP que cita o documento, cerca de 82% dos desaparecidos são de apenas sete países com registo de conflitos armados.

 

A Nigéria é responsável por mais de metade do número total de pessoas desaparecidas em África. Cerca de 24 mil pessoas foram registadas como desaparecidas no país.

 

Outros países com alto número de pessoas desaparecidas incluem a Etiópia, o Sudão do Sul, Somália, Líbia, República Democrática do Congo e Camarões.

 

O CICV indica que o continente registou um aumento do número de pessoas desaparecidas no ano passado como resultado de conflitos armados e outras formas de violência.

As restrições devido à pandemia da Covid-19 estão a  perturbar os esforços para localizar as vítimas e reuni-las com suas famílias, mas o CICV diz que as pessoas desaparecidas não são esquecidas.

O Dia Internacional dos Desaparecidos, 30 de Agosto, é uma data criada através de uma resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas, para chamar a atenção para o destino de pessoas presas em locais e condições precárias desconhecidos de seus familiares e ou representantes legais. 

 

A data é celebrada desde 2011 para homenagear as vítimas dos desaparecimentos forçados.

De acordo com a AFP que cita o documento, cerca de 82% dos desaparecidos são de apenas sete países com registo de conflitos armados.

 

A Nigéria é responsável por mais de metade do número total de pessoas desaparecidas em África. Cerca de 24 mil pessoas foram registadas como desaparecidas no país.

 

Outros países com alto número de pessoas desaparecidas incluem a Etiópia, o Sudão do Sul, Somália, Líbia, República Democrática do Congo e Camarões.

 

O CICV indica que o continente registou um aumento do número de pessoas desaparecidas no ano passado como resultado de conflitos armados e outras formas de violência.

As restrições devido à pandemia da Covid-19 estão a  perturbar os esforços para localizar as vítimas e reuni-las com suas famílias, mas o CICV diz que as pessoas desaparecidas não são esquecidas.

O Dia Internacional dos Desaparecidos, 30 de Agosto, é uma data criada através de uma resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas, para chamar a atenção para o destino de pessoas presas em locais e condições precárias desconhecidos de seus familiares e ou representantes legais. 

 

A data é celebrada desde 2011 para homenagear as vítimas dos desaparecimentos forçados.