África com mais 1.265 mortos e 34.802 casos nas últimas 24 horas

  • Doentes Com Problemas De Covid 19  A Serem Tratados No Hospital Campanha Da Zona Economica De Viana
Addis Abeba - África registou nas últimas 24 horas mais 1.265 mortos por covid-19, para um total de 75.709, e 34.802 novos casos de infecção, segundo os últimos dados oficiais da pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de infectados é de 3.142.781 e o de recuperados nos 55 Estados-membros da organização nas últimas 24 horas foi de 24.073, para um total de 2.562.961 desde o início da pandemia.

A África Austral continua como a região mais atingida, registando agora 1.450.117 casos e 37.891 óbitos. A África do Sul, o mais fustigado pela covid-19 no continente, regista 1.278.303 contaminações e 35.140 falecidos.

A África do Norte conta agora com 1.001.700 doentes e 26.434 vítimas mortais.

A África Oriental regista 338.838 infecções e 6.326 mortos, enquanto a África Ocidental tem 272.586 contaminados o de óbitos ascende aos 3.530. A África Central regista 79.540 contaminações e 1.528 falecidos.

O Egipto, que é o segundo país africano com mais óbitos, conta agora 8.362 mortos e 152.719 infectados, seguindo-se o Marrocos (7.810 mortos e 455.055 infectados), Tunísia (5.415 mortos e 168.568 infectados), Argélia (2.819 óbitos e 102.860 casos),  Etiópia (2.006 mortos e 129.455 infecções), e o Quénia (1.720 óbitos e 98.555 infectados).

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Angola regista 424 óbitos e 18.425 casos, seguindo-se Moçambique (205 mortos e 23.726 casos), Cabo Verde (115 mortos e 12.592 casos), Guiné Equatorial (86 mortos e 5.316 casos), Guiné-Bissau (45 mortos e 2.478 casos) e São Tomé e Príncipe (17 mortos e 1.090 casos).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egipto, a 14 de Fevereiro deste ano, ao passo que na África subsariana a doença foi registada na Nigéria, no dia 28 do mês em referência.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.963.557 mortos resultantes de mais de 91,5 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

 

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de infectados é de 3.142.781 e o de recuperados nos 55 Estados-membros da organização nas últimas 24 horas foi de 24.073, para um total de 2.562.961 desde o início da pandemia.

A África Austral continua como a região mais atingida, registando agora 1.450.117 casos e 37.891 óbitos. A África do Sul, o mais fustigado pela covid-19 no continente, regista 1.278.303 contaminações e 35.140 falecidos.

A África do Norte conta agora com 1.001.700 doentes e 26.434 vítimas mortais.

A África Oriental regista 338.838 infecções e 6.326 mortos, enquanto a África Ocidental tem 272.586 contaminados o de óbitos ascende aos 3.530. A África Central regista 79.540 contaminações e 1.528 falecidos.

O Egipto, que é o segundo país africano com mais óbitos, conta agora 8.362 mortos e 152.719 infectados, seguindo-se o Marrocos (7.810 mortos e 455.055 infectados), Tunísia (5.415 mortos e 168.568 infectados), Argélia (2.819 óbitos e 102.860 casos),  Etiópia (2.006 mortos e 129.455 infecções), e o Quénia (1.720 óbitos e 98.555 infectados).

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Angola regista 424 óbitos e 18.425 casos, seguindo-se Moçambique (205 mortos e 23.726 casos), Cabo Verde (115 mortos e 12.592 casos), Guiné Equatorial (86 mortos e 5.316 casos), Guiné-Bissau (45 mortos e 2.478 casos) e São Tomé e Príncipe (17 mortos e 1.090 casos).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egipto, a 14 de Fevereiro deste ano, ao passo que na África subsariana a doença foi registada na Nigéria, no dia 28 do mês em referência.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.963.557 mortos resultantes de mais de 91,5 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.