África com mais 255 mortes e 18.552 infectados nas últimas 24 horas

  • Processo de testagem de cidadãos contra a Covid-19
Addis Abeba - África registou mais 255 mortes associadas à covid-19 nas últimas 24 horas, o que eleva o total de óbitos desde o início da pandemia para 131.696, e 18.552 infectados, de acordo com os dados oficiais mais recentes.

Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número total de casos no continente é de 4.886.279 e o de recuperados é de 4.418.339, mais 13.731 nas últimas 24 horas.

A África Austral continua a ser a região mais afectada, com 2.102.527 casos e 65.176 óbitos associados à covid-19. Nesta região encontra-se o país mais atingido pela covid-19 no continente, a África do Sul, que contabiliza 1.680.373 casos e 56.765 mortes.

O Norte de África é a segunda região do continente mais atingida, com 1.473.379 infectados com o vírus SARS-CoV-2 e 44.498 mortes associadas à infecção.

A África Oriental contabiliza 656.811 infecções e 12.925 mortos, e a região da África Ocidental regista 474.535 casos de infecção e 6.295 mortes.

A região da África Central é a que regista menos casos de infecção e de mortes, 179.027 e 2.802 respectivamente.

O Egipto, que é o segundo país africano com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, regista 15.222 mortes e 265.489 infectados, seguindo-se a Tunísia, com 12.839 óbitos e 350.487 casos, e Marrocos, que contabiliza o segundo maior número de infecções em todo o continente, 520.423 casos, mas menos mortes do que os dois países anteriores, 9.147 óbitos associados à doença.

Entre os países mais afectados estão também a Etiópia, com 4.185 vítimas mortais e 272.285 infecções, e a Argélia, com 3.628 óbitos e 129.976 infectados.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Moçambique regista 837 mortes e 70.965 casos, seguindo-se Angola (780 óbitos e 34.960 casos de infecção), Cabo Verde (266 mortos e 30.774 casos), Guiné Equatorial (118 óbitos e 8.572 casos), Guiné-Bissau (68 mortos e 3.784 casos) e São Tomé e Príncipe (37 mortos e 2.344 casos).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egipto, a 14 de Fevereiro de 2020, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infecção, a 28 de Fevereiro.

Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número total de casos no continente é de 4.886.279 e o de recuperados é de 4.418.339, mais 13.731 nas últimas 24 horas.

A África Austral continua a ser a região mais afectada, com 2.102.527 casos e 65.176 óbitos associados à covid-19. Nesta região encontra-se o país mais atingido pela covid-19 no continente, a África do Sul, que contabiliza 1.680.373 casos e 56.765 mortes.

O Norte de África é a segunda região do continente mais atingida, com 1.473.379 infectados com o vírus SARS-CoV-2 e 44.498 mortes associadas à infecção.

A África Oriental contabiliza 656.811 infecções e 12.925 mortos, e a região da África Ocidental regista 474.535 casos de infecção e 6.295 mortes.

A região da África Central é a que regista menos casos de infecção e de mortes, 179.027 e 2.802 respectivamente.

O Egipto, que é o segundo país africano com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, regista 15.222 mortes e 265.489 infectados, seguindo-se a Tunísia, com 12.839 óbitos e 350.487 casos, e Marrocos, que contabiliza o segundo maior número de infecções em todo o continente, 520.423 casos, mas menos mortes do que os dois países anteriores, 9.147 óbitos associados à doença.

Entre os países mais afectados estão também a Etiópia, com 4.185 vítimas mortais e 272.285 infecções, e a Argélia, com 3.628 óbitos e 129.976 infectados.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Moçambique regista 837 mortes e 70.965 casos, seguindo-se Angola (780 óbitos e 34.960 casos de infecção), Cabo Verde (266 mortos e 30.774 casos), Guiné Equatorial (118 óbitos e 8.572 casos), Guiné-Bissau (68 mortos e 3.784 casos) e São Tomé e Príncipe (37 mortos e 2.344 casos).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egipto, a 14 de Fevereiro de 2020, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infecção, a 28 de Fevereiro.