África com mais 373 mortos e 12.941 casos nas últimas 24 horas

  • Processo de testagem de cidadãos contra a Covid-19
Addis Abeba – África registou mais 373 mortos nas últimas 24 horas devido à covid-19, para um total de 102.843 óbitos, e 12.941 casos do novo coronavírus, segundo os dados oficiais mais recentes da pandemia na região.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), sediado em Addis Abeba, Etiópia, o total de casos é de 3.869.522 e o número de recuperados nas últimas 24 horas nos 55 Estados-membros da organização voltou a ser superior ao de novos casos (14.757), totalizando 3.436.283.

A África Austral continua a ser região mais afectada, com 1.826.074 casos e 56.000 mortos. Nesta região, a África do Sul, o país mais atingido pela covid-19 no continente, contabiliza 1.509.124 infeções e 49.667 mortos.

O Norte de África é a segunda zona mais atingida pela pandemia: 1.156.028 infectados e 32.634 vítimas mortais.

A África Oriental passou hoje as 400 mil infecções (400.244) e regista 7.472 mortos, enquanto na África Ocidental o número de casos é de 384.228 e o de mortes ascende a 4.926.

A África Central contabiliza 102.948 casos e 1.784 óbitos.

O Egipto, que é o segundo país africano com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, regista 10.548 mortes e 180.640 infectados, seguindo-se Marrocos, com 8.598 vítimas mortais e 482.514 casos.

Entre os países mais afectados estão também a Tunísia, com 7.911 óbitos e 231.298 casos, a Argélia, com 2.975 mortos e 112.530 infectados, e a Etiópia, com 2.321 vítimas mortais e 156.112 infecções.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Moçambique regista 613 mortes e 57.597 casos, seguindo-se Angola (502 óbitos e 20.695 casos de infecção), Cabo Verde (145 mortos e 15.201 casos), Guiné Equatorial (91 óbitos e 5.957 casos), Guiné-Bissau (48 mortos e 3.215 casos) e São Tomé e Príncipe (27 mortos e 1.719 casos).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egipto, a 14 de Fevereiro de 2020, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infecção, a 28 de Fevereiro.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), sediado em Addis Abeba, Etiópia, o total de casos é de 3.869.522 e o número de recuperados nas últimas 24 horas nos 55 Estados-membros da organização voltou a ser superior ao de novos casos (14.757), totalizando 3.436.283.

A África Austral continua a ser região mais afectada, com 1.826.074 casos e 56.000 mortos. Nesta região, a África do Sul, o país mais atingido pela covid-19 no continente, contabiliza 1.509.124 infeções e 49.667 mortos.

O Norte de África é a segunda zona mais atingida pela pandemia: 1.156.028 infectados e 32.634 vítimas mortais.

A África Oriental passou hoje as 400 mil infecções (400.244) e regista 7.472 mortos, enquanto na África Ocidental o número de casos é de 384.228 e o de mortes ascende a 4.926.

A África Central contabiliza 102.948 casos e 1.784 óbitos.

O Egipto, que é o segundo país africano com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, regista 10.548 mortes e 180.640 infectados, seguindo-se Marrocos, com 8.598 vítimas mortais e 482.514 casos.

Entre os países mais afectados estão também a Tunísia, com 7.911 óbitos e 231.298 casos, a Argélia, com 2.975 mortos e 112.530 infectados, e a Etiópia, com 2.321 vítimas mortais e 156.112 infecções.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Moçambique regista 613 mortes e 57.597 casos, seguindo-se Angola (502 óbitos e 20.695 casos de infecção), Cabo Verde (145 mortos e 15.201 casos), Guiné Equatorial (91 óbitos e 5.957 casos), Guiné-Bissau (48 mortos e 3.215 casos) e São Tomé e Príncipe (27 mortos e 1.719 casos).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egipto, a 14 de Fevereiro de 2020, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infecção, a 28 de Fevereiro.