África do Sul e Cuba celebram 27 anos de relações diplomáticas

Pretoria (Da correspondente) - As Repúblicas da África do Sul e de Cuba, comemoraram na quinta-feira 27 anos de Relações Diplomáticas, baseadas na solidariedade e cooperação.

A ministra sul-africana das Relações Internacionais e Cooperação (DIRCO), Naledi Pandor, e o seu homólogo cubano, Bruno Rodriguez Parrilla, deram destaque a este evento através de uma vídeoconferência.

Segundo uma nota de imprensa a que Angop teve acesso, as relações diplomaticas entre a África do Sul e Cuba foram efectivadas a 11 de Maio de 1994 pelos então Presidentes Nelson Mandela e Fidel Castro Ruz.

Contudo, adianta a nota, esta amizade remonta muito antes dessa data. "Foi cimentada nos campos de batalha de Angola, onde quase meio milhão de cubanos juntaram o seu destino ao dos combatentes africanos para rejeitar a intervenção militar do Apartheid e do neo-colonialismo no continente", lê-se no documento.

Cuba é um parceiro estratégico para África do Sul na região da América Latina e em Fóruns Multilaterais. As relações são caracterizadas por um diálogo político de alto nível, como tem sido evidenciado pelas reuniões anuais do Mecanismo Consultivo Conjunto (JCM).

A cooperação Sul-Sul entre os dois países demonstra um modelo de solidariedade humana nas aéreas da formação e serviços de saúde, intercâmbio técnico de assentamentos humanos, ciência e tecnologia, assistência técnica em obras públicas, cooperação na gestão de recursos hídricos e abastecimento de água, serviços profissionais na aérea da educação.

No que toca a cooperação Sul-África-Cuba em matéria de saúde, vale ressaltar que cerca de 600 sul-africanos, estudantes de medicina em vários níveis, encontram-se na República de Cuba, lê-se no documento.

A pedido da África do Sul, 217 médicos cubanos - parte da Brigada Médica Cubana - foram destacados em território sul-africano entre Abril e Maio de 2020, para ajudar este país no combate à pandemia da covid-19. Como agradecimento, a África do Sul nomeou a referida Brigada para o Prémio Nobel da Paz de 2021.

A ministra sul-africana das Relações Internacionais e Cooperação (DIRCO), Naledi Pandor, e o seu homólogo cubano, Bruno Rodriguez Parrilla, deram destaque a este evento através de uma vídeoconferência.

Segundo uma nota de imprensa a que Angop teve acesso, as relações diplomaticas entre a África do Sul e Cuba foram efectivadas a 11 de Maio de 1994 pelos então Presidentes Nelson Mandela e Fidel Castro Ruz.

Contudo, adianta a nota, esta amizade remonta muito antes dessa data. "Foi cimentada nos campos de batalha de Angola, onde quase meio milhão de cubanos juntaram o seu destino ao dos combatentes africanos para rejeitar a intervenção militar do Apartheid e do neo-colonialismo no continente", lê-se no documento.

Cuba é um parceiro estratégico para África do Sul na região da América Latina e em Fóruns Multilaterais. As relações são caracterizadas por um diálogo político de alto nível, como tem sido evidenciado pelas reuniões anuais do Mecanismo Consultivo Conjunto (JCM).

A cooperação Sul-Sul entre os dois países demonstra um modelo de solidariedade humana nas aéreas da formação e serviços de saúde, intercâmbio técnico de assentamentos humanos, ciência e tecnologia, assistência técnica em obras públicas, cooperação na gestão de recursos hídricos e abastecimento de água, serviços profissionais na aérea da educação.

No que toca a cooperação Sul-África-Cuba em matéria de saúde, vale ressaltar que cerca de 600 sul-africanos, estudantes de medicina em vários níveis, encontram-se na República de Cuba, lê-se no documento.

A pedido da África do Sul, 217 médicos cubanos - parte da Brigada Médica Cubana - foram destacados em território sul-africano entre Abril e Maio de 2020, para ajudar este país no combate à pandemia da covid-19. Como agradecimento, a África do Sul nomeou a referida Brigada para o Prémio Nobel da Paz de 2021.