África do Sul: Presidente anuncia intervenção no sector energético

Pretoria (Da correspondente) - O Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, anunciou uma intervenção no sector energético, com vista a resolver o défice no abastecimento ao país, que actualmente a empresa Eskom enfrenta, e reduzir o risco de queda de carga.

"Após um extenso processo de consulta pública e uma quantidade significativa de trabalho técnico realizado pelo Departamento de Recursos Minerais e Energia, iremos alterar o Anexo 2 da Lei de Regulação da Electricidade para aumentar o limiar de licenciamento da Entidade Reguladora Nacional de Energia da África do Sul ( NERSA) para projectos de produção integrada de 1 MW para 100 Megawatts", disse o Presidente.

 

Ao falar à nação, na quinta-feira, sobre o empenho do governo para alcançar uma recuperação económica rápida e duradoura, o Chefe de Estado afirmou que a alteração do regulamento reflecte a determinação do executivo em tomar medidas necessárias e minimizar o impacto da queda de carga nos negócios impedindo grandes reformas economicas no país.

 

Por outro lado, e enquanto governo, disse, demonstramos o nosso empenho em ouvir atentamente os peritos,  aceitar as novas ideias para enfrentar os nossos desafios de longa data. Esta urgente medida é crucial, para desenvolver uma respostas a crise energética.

 

Acrescentou que, no que toca aos projectos, estes terão de obter uma licença de ligação a rede, para assegurar que cumprem com todos os requisitos necessários.

 

"Isto garantirá que poderemos colocar em linha o máximo de novas capacidades, sem comprometer a integridade ou estabilidade do nosso sistema energético", recomendou o Presidente Ramaphosa.

 

"Após um extenso processo de consulta pública e uma quantidade significativa de trabalho técnico realizado pelo Departamento de Recursos Minerais e Energia, iremos alterar o Anexo 2 da Lei de Regulação da Electricidade para aumentar o limiar de licenciamento da Entidade Reguladora Nacional de Energia da África do Sul ( NERSA) para projectos de produção integrada de 1 MW para 100 Megawatts", disse o Presidente.

 

Ao falar à nação, na quinta-feira, sobre o empenho do governo para alcançar uma recuperação económica rápida e duradoura, o Chefe de Estado afirmou que a alteração do regulamento reflecte a determinação do executivo em tomar medidas necessárias e minimizar o impacto da queda de carga nos negócios impedindo grandes reformas economicas no país.

 

Por outro lado, e enquanto governo, disse, demonstramos o nosso empenho em ouvir atentamente os peritos,  aceitar as novas ideias para enfrentar os nossos desafios de longa data. Esta urgente medida é crucial, para desenvolver uma respostas a crise energética.

 

Acrescentou que, no que toca aos projectos, estes terão de obter uma licença de ligação a rede, para assegurar que cumprem com todos os requisitos necessários.

 

"Isto garantirá que poderemos colocar em linha o máximo de novas capacidades, sem comprometer a integridade ou estabilidade do nosso sistema energético", recomendou o Presidente Ramaphosa.