África do Sul: Presidente Ramaphosa encoraja investidores

Pretória (Da correspondente) - O Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, disse na manhã desta segunda-feira, 16, que o seu executivo está determinado a mostrar que o país continua a ser um destino atraente para o investimento.

 

 

Numa mensagem a que a Angop teve acesso, contida na última edição do seu boletim semanal, Ramaphosa adianta que, durante a 3ª Conferência sobre Investimentos, que a África do Sul vai realizar de 17 a 18 de Novembro corrente, o governo vai trazer a público os avanços registados na melhoria do clima de negócios no país.

 

O Presidente mostra, a título de exemplo, que "os fluxos do investimento estrangeiro directo para a África do Sul aumentaram acentuadamente, de R 26,8 biliões em 2017, para R 70,6 biliões em 2018".

 

Na sua conta do Twitter, Cyril Ramaphosa fala de uma ambiciosa tarefa de garantir R 1,2 trilião em provimentos adicionais em cinco anos.

 

Nos últimos 10 meses, explica, a pandemia forçou muitas aplicações promissoras das conferências anteriores a serem reduzidas ou mesmo suspensas.

 

No entanto, sublinha, esses investimentos representam apenas cerca de um décimo do compromisso total de Rand 664 biliões. A maior parte destes empenhamentos prossegue positivamente.

 

Dos 102 projectos anunciados nas duas últimas conferências do gênero, 12 encontram-se em fase inicial de implementação, 19 já foram lançados e 44 estão actualmente em construção, informa.

 

"Além da sua contribuição para o Produto Interno Bruto (PIB), o investimento estimula e apoia o crescimento das economias locais, com benefícios materiais directos para o nosso povo. Cria oportunidades de emprego em tempo integral, proporcionando às pessoas uma renda para alimentar as suas famílias e pagar por bens básicos", ressalta o Estadista.

 

Devido à pandemia da Covid-19, a Conferência de Investimento deste ano será limitada a 175 delegados, entre empresários que participarão pessoalmente, empresas cotadas, emergentes, associações empresariais e o governo. Mais de 1000 delegados de diferentes partes do mundo estão inscritos para participarem no evento online, conclui o Presidente sul-africano.

 

 

Numa mensagem a que a Angop teve acesso, contida na última edição do seu boletim semanal, Ramaphosa adianta que, durante a 3ª Conferência sobre Investimentos, que a África do Sul vai realizar de 17 a 18 de Novembro corrente, o governo vai trazer a público os avanços registados na melhoria do clima de negócios no país.

 

O Presidente mostra, a título de exemplo, que "os fluxos do investimento estrangeiro directo para a África do Sul aumentaram acentuadamente, de R 26,8 biliões em 2017, para R 70,6 biliões em 2018".

 

Na sua conta do Twitter, Cyril Ramaphosa fala de uma ambiciosa tarefa de garantir R 1,2 trilião em provimentos adicionais em cinco anos.

 

Nos últimos 10 meses, explica, a pandemia forçou muitas aplicações promissoras das conferências anteriores a serem reduzidas ou mesmo suspensas.

 

No entanto, sublinha, esses investimentos representam apenas cerca de um décimo do compromisso total de Rand 664 biliões. A maior parte destes empenhamentos prossegue positivamente.

 

Dos 102 projectos anunciados nas duas últimas conferências do gênero, 12 encontram-se em fase inicial de implementação, 19 já foram lançados e 44 estão actualmente em construção, informa.

 

"Além da sua contribuição para o Produto Interno Bruto (PIB), o investimento estimula e apoia o crescimento das economias locais, com benefícios materiais directos para o nosso povo. Cria oportunidades de emprego em tempo integral, proporcionando às pessoas uma renda para alimentar as suas famílias e pagar por bens básicos", ressalta o Estadista.

 

Devido à pandemia da Covid-19, a Conferência de Investimento deste ano será limitada a 175 delegados, entre empresários que participarão pessoalmente, empresas cotadas, emergentes, associações empresariais e o governo. Mais de 1000 delegados de diferentes partes do mundo estão inscritos para participarem no evento online, conclui o Presidente sul-africano.