Ataque do grupo 'jihadista' Boko Haram faz seis mortos nos Camarões

  • Mapa da Nigéria
Yaoundé - Pelo menos cinco soldados e um civil morreram esta segunda-feira num ataque do grupo 'jihadista' Boko Haram no norte dos Camarões, onde tem aumentado a sua presença, anunciou hoje, terça-feira, o Ministério da Defesa numa declaração.

Segundo uma declaração lida na estação CRTV e citada pela agência noticiosa France-Presse (AFP), na noite de segunda para terça-feira, "uma horda de terroristas fortemente armados da seita Boko Haram, e a bordo de vários veículos tácticos ligeiros, atacou o posto de comando (...) localizado em Zigué".

Ficaram também feridos três soldados e um civil, acrescentou o departamento governamental.

Na declaração refere-se ainda que os membros do Boko Haram foram mortos.

"As tropas permanecem em alerta máximo em todo o extremo norte e nas fronteiras para evitar possíveis novos ataques dos terroristas do Boko Haram, que parece ter recuperado a sua força na sequência da reestruturação interna da sua ideologia", acrescenta-se na declaração.

O extremo norte dos Camarões, próximo da fronteira com a Nigéria, é palco regular de ataques deste grupo extremista.

No sábado, outros oito soldados camaroneses morreram num outro ataque do Boko Haram em Sagme, na mesma região e a poucos quilómetros da Nigéria.

O Boko Haram foi criado em 2002 no nordeste da Nigéria por Mohammed Yusuf, após o abandono do norte do país pelas autoridades.

Inicialmente, os seus ataques eram dirigidos à polícia nigeriana, uma vez que representava o Estado, mas desde a morte de Yusuf, em 2009, o grupo passou a ter uma abordagem mais radical.

Desde então, o Boko Haram matou mais de 36 mil pessoas e as suas ofensivas provocaram quase três milhões de deslocados, tendo os ataques atingido os vizinhos Níger, Chade e Camarões.

Segundo uma declaração lida na estação CRTV e citada pela agência noticiosa France-Presse (AFP), na noite de segunda para terça-feira, "uma horda de terroristas fortemente armados da seita Boko Haram, e a bordo de vários veículos tácticos ligeiros, atacou o posto de comando (...) localizado em Zigué".

Ficaram também feridos três soldados e um civil, acrescentou o departamento governamental.

Na declaração refere-se ainda que os membros do Boko Haram foram mortos.

"As tropas permanecem em alerta máximo em todo o extremo norte e nas fronteiras para evitar possíveis novos ataques dos terroristas do Boko Haram, que parece ter recuperado a sua força na sequência da reestruturação interna da sua ideologia", acrescenta-se na declaração.

O extremo norte dos Camarões, próximo da fronteira com a Nigéria, é palco regular de ataques deste grupo extremista.

No sábado, outros oito soldados camaroneses morreram num outro ataque do Boko Haram em Sagme, na mesma região e a poucos quilómetros da Nigéria.

O Boko Haram foi criado em 2002 no nordeste da Nigéria por Mohammed Yusuf, após o abandono do norte do país pelas autoridades.

Inicialmente, os seus ataques eram dirigidos à polícia nigeriana, uma vez que representava o Estado, mas desde a morte de Yusuf, em 2009, o grupo passou a ter uma abordagem mais radical.

Desde então, o Boko Haram matou mais de 36 mil pessoas e as suas ofensivas provocaram quase três milhões de deslocados, tendo os ataques atingido os vizinhos Níger, Chade e Camarões.