Ataque suicida em campo militar mata dezenas de recrutas na Somália

Mogadíscio - Dezenas de recrutas e respectivos instrutores militares foram mortos na sequência de um ataque suicida num campo de treino militar em Mogadíscio, Somália, confirmou a polícia local.

Segundo o capitão da polícia, Garowe Online, citado pelo portal de notícias somali, um bombista suicida fez-se rebentar no campo militar General Abdikarim Yusuf Dhagabadan, na capital do país, onde milhares de recrutas recebem treino militar especial, confirmou Abdi Barre.

Testemunhos recolhidos pelo portal de notícias somali admitem ter sido mortos dezenas de recrutas, enquanto a agência France-Presse dá conta de, pelo menos, 15 mortos, de acordo com um oficial presente no local.

Os feridos foram transportados para vários hospitais em Mogadíscio.

Um bombista suicida, "disfarçado de soldado", explodiu-se diante de recrutas "que faziam fila em frente ao campo" militar, disse à AFP Mohamed Adan, afirmando ter "contado cerca de 15 novos recrutas que foram mortos na explosão".

O campo de treino militar General Abdikarim Yusuf Dhagabadan, nome do comandante que liderou a ofensiva que expulsou a Al-Shebab da capital somali em Agosto de 2011, é utilizado para treinar efectivos que integram as várias forças especiais da Somália, e é uma das mais reputadas bases militares em todo o país.

Por outro lado, o exército somali tem vindo a levar a cabo nas últimas semanas uma série de operações no país sob o comando do chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, general Odowaa Yusuf Rageh, que terão matado mais de duas centenas de militantes nas últimas semanas, de acordo com os meios de comunicação estatais.

Em 28 de Dezembro de 2019, um ataque com um carro armadilhado num posto de controlo num bairro movimentado de Mogadíscio matou pelo menos 81 pessoas, de acordo com números oficiais. Esse ataque não foi reivindicado pela Al-Shebab.

Em 17 de Agosto de 2020, um ataque reivindicado pelo grupo terrorista a um hotel de Mogadíscio frequentado por funcionários governamentais fez 11 mortos, segundo números oficiais.

Segundo o capitão da polícia, Garowe Online, citado pelo portal de notícias somali, um bombista suicida fez-se rebentar no campo militar General Abdikarim Yusuf Dhagabadan, na capital do país, onde milhares de recrutas recebem treino militar especial, confirmou Abdi Barre.

Testemunhos recolhidos pelo portal de notícias somali admitem ter sido mortos dezenas de recrutas, enquanto a agência France-Presse dá conta de, pelo menos, 15 mortos, de acordo com um oficial presente no local.

Os feridos foram transportados para vários hospitais em Mogadíscio.

Um bombista suicida, "disfarçado de soldado", explodiu-se diante de recrutas "que faziam fila em frente ao campo" militar, disse à AFP Mohamed Adan, afirmando ter "contado cerca de 15 novos recrutas que foram mortos na explosão".

O campo de treino militar General Abdikarim Yusuf Dhagabadan, nome do comandante que liderou a ofensiva que expulsou a Al-Shebab da capital somali em Agosto de 2011, é utilizado para treinar efectivos que integram as várias forças especiais da Somália, e é uma das mais reputadas bases militares em todo o país.

Por outro lado, o exército somali tem vindo a levar a cabo nas últimas semanas uma série de operações no país sob o comando do chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, general Odowaa Yusuf Rageh, que terão matado mais de duas centenas de militantes nas últimas semanas, de acordo com os meios de comunicação estatais.

Em 28 de Dezembro de 2019, um ataque com um carro armadilhado num posto de controlo num bairro movimentado de Mogadíscio matou pelo menos 81 pessoas, de acordo com números oficiais. Esse ataque não foi reivindicado pela Al-Shebab.

Em 17 de Agosto de 2020, um ataque reivindicado pelo grupo terrorista a um hotel de Mogadíscio frequentado por funcionários governamentais fez 11 mortos, segundo números oficiais.