BRICS: Presidente Ramaphosa chefia Delegação Sul-Africana a 12ª Cimeira

Pretoria ( Da correspondente ) - O Presidente Cyril Ramaphosa chefia a delegação sul-africana a Décima Segunda Cimeira virtual do BRICS, marcada para hoje terça-feira, informou a Presidência Sul-Africana.

O BRICS, é uma associação de cinco grandes  países emergentes, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, que juntos representam cerca de 42% da população global, 23% do PIB (Produto Interno Bruto), 30% do território mundial e 18 % do comércio global.

O Chefe de Estado russo, Vladimir Putin, como Presidente do BRICS para 2020, dirigirá a 12ª Cúpula sob o lema: "Parceria do BRICS para a Estabilidade Global, Segurança Compartilhada e Crescimento Inovador".

O programa da Cimeira inclui a tradicional sessão aberta de líderes, na qual os Chefes dos Estados Membros farão esta reunião com o objectivo de contribuir para a futura direcção do BRICS.

"Os líderes vão-se concentrar  no fortalecimento das relações intra-BRICS e da cooperação mutuamente benéfica entre os pilares da cooperação política e de segurança, econômica e financeira, social e entre às pessoas", acrescenta o documento presidencial.

A Cimeira receberá relatórios dos Conselhos de Segurança Nacional do BRICS, do Conselho Empresarial, do Presidente do Novo Banco de Desenvolvimento  (NDB), do Presidente do Mecanismo de Cooperacao Inter- bancária; e a Presidente da Aliança Empresarial de Mulheres do BRICS, sublinha a mais alta instituição sul-africana.

Para a Cimeira deste ano, alguns dos resultados da cooperação incluem a adopção de uma estratégia revista para a Parceria Econômica do BRICS (2020 - 2025 );a introdução da estratégia Antiterrorista; a extensão do Memorando de Entendimento sobre Cooperação em Direito e Politica de Concorrência.

Além disso, outros seguimentos da colaboração abarcam os primeiros projectos da Plataforma de Cooperação em Pesquisa Energética do BRICS, Um Acordo de Cooperação sobre a Constelação de Satélites de Sensoriamento Remoto, a introdução   de um Roadmap (roteiro) para a Cooperação em Energia e o lançamento da Aliança  Empresarial de Mulheres do BRICS.

A adesão da África do Sul ao BRICS permite ao país empregar ferramentas adicionais e poderosas na sua luta para enfrentar os triplos desafios do desemprego, pobreza e desigualdade por meio do aumento do comércio, investimento, turismo, capacitação, habilidades e transferência de tecnologia.

A África do Sul tem feito esforços conjuntos para colocar o Continente Africano e o Sul Global no calendário do BRICS, por outras palavras, a Agenda Africana  2063 e a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

O Presidente Cyril Ramaphosa estará ladeado pelas Ministras das Relações Internacionais e Cooperação, Naledi Pandor; da Segurança do Estado, Ayanda Dlodlo; os Titulares das Finanças, Tito Mboweni; da Indústria e Concorrência, Ebrahim Patel e da Saúde, Dr. Zweli Mkhize.

O encontro dos líderes dos países do BRICS está marcado para as 13h00-15h00 (África do Sul), 14h00-16h00 (hora de Moscovo), será totalmente aberto aos Mass Média e com transmissões ao vivo.

 

O BRICS, é uma associação de cinco grandes  países emergentes, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, que juntos representam cerca de 42% da população global, 23% do PIB (Produto Interno Bruto), 30% do território mundial e 18 % do comércio global.

O Chefe de Estado russo, Vladimir Putin, como Presidente do BRICS para 2020, dirigirá a 12ª Cúpula sob o lema: "Parceria do BRICS para a Estabilidade Global, Segurança Compartilhada e Crescimento Inovador".

O programa da Cimeira inclui a tradicional sessão aberta de líderes, na qual os Chefes dos Estados Membros farão esta reunião com o objectivo de contribuir para a futura direcção do BRICS.

"Os líderes vão-se concentrar  no fortalecimento das relações intra-BRICS e da cooperação mutuamente benéfica entre os pilares da cooperação política e de segurança, econômica e financeira, social e entre às pessoas", acrescenta o documento presidencial.

A Cimeira receberá relatórios dos Conselhos de Segurança Nacional do BRICS, do Conselho Empresarial, do Presidente do Novo Banco de Desenvolvimento  (NDB), do Presidente do Mecanismo de Cooperacao Inter- bancária; e a Presidente da Aliança Empresarial de Mulheres do BRICS, sublinha a mais alta instituição sul-africana.

Para a Cimeira deste ano, alguns dos resultados da cooperação incluem a adopção de uma estratégia revista para a Parceria Econômica do BRICS (2020 - 2025 );a introdução da estratégia Antiterrorista; a extensão do Memorando de Entendimento sobre Cooperação em Direito e Politica de Concorrência.

Além disso, outros seguimentos da colaboração abarcam os primeiros projectos da Plataforma de Cooperação em Pesquisa Energética do BRICS, Um Acordo de Cooperação sobre a Constelação de Satélites de Sensoriamento Remoto, a introdução   de um Roadmap (roteiro) para a Cooperação em Energia e o lançamento da Aliança  Empresarial de Mulheres do BRICS.

A adesão da África do Sul ao BRICS permite ao país empregar ferramentas adicionais e poderosas na sua luta para enfrentar os triplos desafios do desemprego, pobreza e desigualdade por meio do aumento do comércio, investimento, turismo, capacitação, habilidades e transferência de tecnologia.

A África do Sul tem feito esforços conjuntos para colocar o Continente Africano e o Sul Global no calendário do BRICS, por outras palavras, a Agenda Africana  2063 e a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

O Presidente Cyril Ramaphosa estará ladeado pelas Ministras das Relações Internacionais e Cooperação, Naledi Pandor; da Segurança do Estado, Ayanda Dlodlo; os Titulares das Finanças, Tito Mboweni; da Indústria e Concorrência, Ebrahim Patel e da Saúde, Dr. Zweli Mkhize.

O encontro dos líderes dos países do BRICS está marcado para as 13h00-15h00 (África do Sul), 14h00-16h00 (hora de Moscovo), será totalmente aberto aos Mass Média e com transmissões ao vivo.