Cabo Verde anuncia conclusão de 'campus' da Uni-CV financiado pela China

Praia - A Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) anunciou, sexta-feira, a conclusão do novo campus universitário na cidade da Praia, financiado pela China, em 45 milhões de euros, e cuja construção teve início em Julho de 2017.

Localizado na zona do Palmarejo Grande, as novas instalações deveriam ficar concluídas em Julho de 2020, para iniciar aulas em Outubro do mesmo ano, mas, devido à pandemia da covid-19, vai ter um ano de atraso.

De acordo com a reitora da Uni-CV, Judite Nascimento, a universidade vai começar a mudança para as novas instalações e prevê o início das aulas no próximo ano lectivo.

Explicou que a Uni-CV vai passar a ter um campus com "condições muito boas" para alunos, docentes, técnicos e funcionários, para pôr em acção a criatividade e o espírito inovador e conseguir desenhar programas condignos do espaço.

Com 14 anos de existência, a única universidade pública de Cabo Verde tem três polos de ensino, nomeadamente na Praia e em Assomada, todos em Santiago, e em São Vicente, com mais de quatro mil estudantes, em cursos profissionalizantes, licenciaturas, especializações, mestrados e doutoramentos.

Neste momento, a Uni-CV funciona com unidades orgânicas em instalações dispersas pela cidade da Praia, mas espera ter, durante o próximo ano, as suas faculdades alojadas no novo campus universitário, que, frisou, estará à altura dos grandes campus que existem um pouco por todo o mundo.

O novo estabelecimento foi projectado para acolher quatro mil 890 estudantes e 476 professores em 61 salas de aulas, cinco auditórios com capacidade para 150 lugares, oito salas de informática, oito salas de leitura, 34 laboratórios, salão multiúsos, com capacidade de 654 lugares, refeitórios, uma biblioteca, dormitórios e espaços desportivos.

Com as novas instalações, a reitora disse que a Uni-CV está a caminhar para ser, num futuro muito próximo, uma "universidade marcante" no contexto da sub-região africana, a par das do Senegal, por exemplo.

"E a Universidade de Cabo Verde também quer posicionar-se e está a posicionar-se desde há alguns anos e neste momento com mais fervor, já que o novo campus vai-nos permitir receber estudantes de outros países", enfatizou.

Além disso, a reitora disse que o campus vai transformar a área envolvente e tornar-se num grande polo de desenvolvimento da cidade da Praia, numa zona de expansão onde se situam ainda a Universidade Jean Piaget, a Escola de Hotelaria e Turismo e o Centro de Energias Renováveis e Manutenção Energética (Cermi).

Acrescentou que estão  previstas grandes outras infraestruturas no país.

 

Localizado na zona do Palmarejo Grande, as novas instalações deveriam ficar concluídas em Julho de 2020, para iniciar aulas em Outubro do mesmo ano, mas, devido à pandemia da covid-19, vai ter um ano de atraso.

De acordo com a reitora da Uni-CV, Judite Nascimento, a universidade vai começar a mudança para as novas instalações e prevê o início das aulas no próximo ano lectivo.

Explicou que a Uni-CV vai passar a ter um campus com "condições muito boas" para alunos, docentes, técnicos e funcionários, para pôr em acção a criatividade e o espírito inovador e conseguir desenhar programas condignos do espaço.

Com 14 anos de existência, a única universidade pública de Cabo Verde tem três polos de ensino, nomeadamente na Praia e em Assomada, todos em Santiago, e em São Vicente, com mais de quatro mil estudantes, em cursos profissionalizantes, licenciaturas, especializações, mestrados e doutoramentos.

Neste momento, a Uni-CV funciona com unidades orgânicas em instalações dispersas pela cidade da Praia, mas espera ter, durante o próximo ano, as suas faculdades alojadas no novo campus universitário, que, frisou, estará à altura dos grandes campus que existem um pouco por todo o mundo.

O novo estabelecimento foi projectado para acolher quatro mil 890 estudantes e 476 professores em 61 salas de aulas, cinco auditórios com capacidade para 150 lugares, oito salas de informática, oito salas de leitura, 34 laboratórios, salão multiúsos, com capacidade de 654 lugares, refeitórios, uma biblioteca, dormitórios e espaços desportivos.

Com as novas instalações, a reitora disse que a Uni-CV está a caminhar para ser, num futuro muito próximo, uma "universidade marcante" no contexto da sub-região africana, a par das do Senegal, por exemplo.

"E a Universidade de Cabo Verde também quer posicionar-se e está a posicionar-se desde há alguns anos e neste momento com mais fervor, já que o novo campus vai-nos permitir receber estudantes de outros países", enfatizou.

Além disso, a reitora disse que o campus vai transformar a área envolvente e tornar-se num grande polo de desenvolvimento da cidade da Praia, numa zona de expansão onde se situam ainda a Universidade Jean Piaget, a Escola de Hotelaria e Turismo e o Centro de Energias Renováveis e Manutenção Energética (Cermi).

Acrescentou que estão  previstas grandes outras infraestruturas no país.